Sim, pode-se sim, ter uma Categoria de Base formadora de cidadãos e de atletas.

República Oriental do Uruguai, com cerca de 3,3 milhões de pessoas, sua única fronteira terrestre é com o Rio Grande do Sul ao norte.

Nos últimos anos, no que se refere ao futebol, falaram de tudo sobre gloriosos celestes: decadentes, incapazes de renovar, bobos que confundiam raça com destempero e, também, sobre as várias decepções em inúmeros campeonatos disputados em todos as categorias. Silenciosamente, uma revolução foi iniciada nesse país, em várias frentes, para salvar o futebol charrua. Com um líder incontestável no comando, o Maestro Oscar Tabárez e com seu trabalho exemplar de realizado desde 2006, tanto na seleção principal e como na coordenação de todas as categorias de base das seleçõe, o futebol uruguaio tomou outras proporções.

Algo novo começou acontecer pelas terras do Prata, firmaram-se convicções, ideologia e metologias, certezas muito acima de resultados eventuais, e uma imensa preocupação com ser humano acima de tudo.

Se menos de 1% dos meninos da base chegam ao profissional, é muita irresponsabilidade estimular que o futebol é a salvação, quando a estatística marca que 99% não irão se salvar. Além do futebol, o Uruguai investiu pesado para esses meninos da base completarem seus estudos e consolidarem sua personalidade. Deixando claro que é um crime relegar isso em detrimento da ganância e de interesses maiores. O estímulo para o estudo e o incentivo para o surgimento de lideranças começa a ter efeito prático no cenário uruguaio. É inquestionável a escalada da “Celeste Olímpica” nos últimos anos: 4º lugar no Mundial da África do Sul, atual campeã da Copa América, vice campeã Mundial Sub-17 em 2011 e a classificação para as Olimpíadas de Londres, depois de 84 anos de ausência, com o vice campeonato no sul americano Sub-20 também em 2011. Deste belo e exemplar trabalho (que deve servir de exemplo a ser seguido), surgem nomes de destaque em todas as idades: Edinson Cavani, Martín Cáceres, Luís Suárez, Sebástian Coates, Morro García, Viúdez, Abel Hernández, Diego Polenta, Sebastian Gallegos, Gonzalo Barreto e muito mais.

Rio Grande do Sul, localizado na região sul do Brasil, com os estados limítrofes Santa Catarina (norte), Argentina (oeste) e Uruguai (sul) e com uma população de 10.693.929 habitantes.

Neste estado, será que o Gaúcho, mais precisamente o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, não tem a capacidade de implantar, com convicção, uma metologia, uma cultura e uma filosofia de futebol para todas suas Categorias de Base? Claro que tem! Para o Grêmio do Prata, basta seguir o modelo vitorioso e o modo de jogar do próprio Grêmio no passado e, aliado a isso, seguir exemplos como o do Uruguai. Uma vez que não estamos em posição de inventar e de ensinar nada a ninguém, estamos em posição de aprender com modelos vitoriosos. Se tivermos essa virtude e se valorizarmos o legado do futebol forte, aguerrido e bravo do Grêmio das grandes vitórias, sim, pode-se sim, voltarmos a conquistar grandes títulos e formarmos muitos jogadores ao time principal.

Os erros de gestões incapazes, que se repetem no futebol profissional do Grêmio, se espalham nas Categoria de Base e nos demais departamentos. Não há metodologia e filosofia de ensino, não há pessoas preparadas que saibam lidar com uma ordem a cada dia e, consequentemente, não há sequência de trabalho para formação de cidadãos e de atletas. Na indefinição de qual caminho a seguir, ou formam-se atletas/homens para o time principal ou conquistam-se títulos a qualquer preço para a base, esquecem a principal lição do Uruguai: o estudo e o futebol na formação do ser humano. Principalmente, um cidadão mais culto e um atleta mais inteligente ao entendimento do jogo no seu todo.

Para o Grêmio do Prata, todos os setores do clube devem trabalhar interligados, apresentando o mesmo pensamento e as mesmas ações para que a filosofia de futebol estabelecida seja realizada com sucesso. No entanto, nas escolinhas e na base, é necessário ter cuidado social maior. É preciso ter assistentes sociais no clube. É importante saber a história de cada garoto, conhecer os pais dele, saber se costuma ter muitos problemas dentro de casa e/ou na escola. Com certeza, o comportamento desse garoto extra campo tem muita interferência no seu trabalho dentro do clube. Além disso, precisamos ter uma medicina preventiva. Temos de evitar lesões e alguns problemas com a saúde destes meninos que ainda estão em formação.

O clube precisa ter profissionais preparados que saibam aplicar a metodologia de ensino para a filosofia de jogo do Grêmio e, também, que saibam lapidar e extrair as principais virtudes destes meninos para o futebol. A captação e os observadores precisam ter a capacidade de entender qual atleta tem o perfil do clube. As comissões técnicas responsáveis pelos trabalhos de campo devem conversar e interagir entre elas, entre as diversas categorias. Obviamente, também existe um trabalho teórico. A convivência com os ex atletas do clube, seus exemplos vitoriosos, suas experiências de vida e da vida da bola, trarão referências extremamente positivas a estes jovens. Caminhos de sucesso a seguir com seus ídolos ao seu lado lhes orientando.

Para exemplificar a grande importância da Categoria de Base do Grêmio vamos relembrar o Mundial de 1983 e a Libertadores de 1995. No Japão, entre os 11 titulares, havia 5 jogadores formados no clube: Paulo Roberto, Baidek, Paulo César Magalhães, China e Renato. Além disso, também havia o técnico Valdir Espinosa, criado também no clube e, no banco de reservas, mais 4 atletas da base: Beto, Leandro, Casemiro e Bonamigo. Doze anos depois, na final da taça Libertadores da América na Colômbia, entre os 11 titulares, havia 4 jogadores formados nas Categorias de Base do Grêmio: Danrlei, Roger, Arílson e Carlos Miguel. Mais uma vez, como em 1983, também havia o técnico Luiz Felipe Scolari e, no banco de reservas, mais atletas da base: Murilo, Luciano e André Vieira.

Hoje em dia, no time profissional, somente um atleta da base. o volante Fernando, e, no banco de reservas, o goleiro Marcelo Grohe e, as vezes, o zagueiro Saimon e o atacante Leandro. Se compararmos com os times das grandes conquistas é muito pouco ou nada da base. Em Anexo, ranking das Categorias de Base, um quadro comparativo dos últimos campeonatos e outro quadro com os valores de vendas pelo Grêmio e o tradicional adversário.

Em nossa carta do movimento, o Grêmio do Prata mostra toda sua alma platina. Somos um Pampa somente e identificados com a história de luta dos povos do Prata. Se nossa “hinchada” canta em português e portunhol, cantos que contaminam o estádio inteiro pedindo um time forte, aguerrido e bravo, sim, pode-se sim, como o hermano Ururguai, formar homens e atletas dignos de confiança e coragem na busca da retomada dos grandes títulos.

César Augusto Fernandes
Coordenador do Depto de Categorias de Base do Grêmio do Prata

 

______________________________________

1  O ranking elaborado pelo site www.olheiros.net, especializado no futebol de base brasileiro, apresenta uma lista com todas as equipes que conquistaram títulos na base ou ainda que chegaram longe nos principais campeonatos nos últimos três anos (2010, 2011 e 2012, além dos pontos de 2009). Os dados estão atualizados até o dia 28 de março de 2012: o tradicional adversário está em primeiro com 391 pontos e o Grêmio em décimo com 154,2 pontos

2 – Levantamento dos principais campeonatos disputados pela base do  Grêmio:

3 – Transferências de atletas formados nas categorias de base ou, no máximo, contratado antes dos 20 anos pela dupla GREnal:

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

22 respostas a “As convicções nas Categorias de Base”

  • Vergonhosa a categoria de base do Grêmio. Não consegue formar atacantes decentes. O último lateral RAZOÁVEL foi o Felipe Mattione. Zagueiro só Saimon e Neuton foram aproveitados. E o pior, entra gestão e sai gestão, as coisas mudam… a base precisa de um planejamento a longo prazo, independente da gestão que estiver, dar continuidade.

    Parar com “apadrinhamento”. A base é o setor mais importante do clube. Mas pelo visto, ão aprenderam nesses 16 anos…

  • Grande post, assino conjuntamente contigo Fernandes, sempre questionei como o Uruguai com 1/3 da população do RS, forma mais atletas que o RS inteiro, e o que é pior o índice de aproveitamento desses atletas é Imensamente maior que o do RS, É SÓ VER QUANTOS SÃO ENVIADOS PARA EUROPA E A QUASE TOTALIDADE VAI E DÁ CERTO NÃO CRIAM PROBLEMAS NOS CLUBES QUE PASSAM E AINDA POR QUEBRA JOGAM COM AFINCO E DETERMINAÇÃO, SÃO HOMENS DE CARÁTER E DIGNOS DE BOA REPRESENTAÇÃO.
    Meu questionamento vai mais alem, porque não procuramos um maior intercambio com as equipes de base do prata pois nossa cultura futebolística está mais para o prata do que para o restante do país.
    Siga em frente Fernandes pois um GREMIO FORTE AGUERRIDO E BRAVO SE FAZ PELA BASE, NÃO ADIANTA EMPANTURRAR OS CARAS DE DINHEIRO PARA QUE VISTAM E HONRREM NOSSA CAMISA, OS EXEMPLOS ESTÃO AÍ NO PRÓPRIO TIME ATUAL DO GREMIO, INICIANDO PELA COMISSÃO TECNICA.
    POR ULTIMO TERMINO LEMBRANDO QUE A DOIS ANOS ATRAS O PRESIDENTE ANTERIOR CHEGOU A AFIRMAR QUE ESTAVA CONTRATANDO O LEANDRO( O ENCRENQUEIRO) POIS ELE TINHA A CARA DO GREMIO, e pasmem companheiros do PRATA esse cara nada mais era do que filho de um patrono do clube.
    Esse exemplo é só para “grifar” como perdemos nossa identiodade, lembram tambem do paulo autuori cuidando das categorias de base, Essa ultima direção contratou a “rodo” e consegui fazer uns dos times mais caros da história do GREMIO e com jogadores ganhando milhares de reais sem ter nada de identificação com as principais características do GREMIO.
    portanto caro Fernandes te parabenizo por trazer esse assunto a publico.
    SALVE GREMIO SALVE GREMIO

  • Grande post amigo Cesar. E conversamos sobre isso antes do fiasco da última quinta-feira. Infelizmente não existe essa convicção. A INCOMPETÊNCIA, VAIDADE E OPORTUNISMO reinam no Grêmio dos últimos anos o que não deixa essa corja pensar ACIMA DE TUDO NO GRÊMIO, colocando à frente de tudo seus interesses pessoais. Não existe planejamento, convicção, conhecimento do mercado… Ficam empilhando cabeças-de-bagre a preço de ouro, ao invés de apostar na base. O correto seria ter A BASE do time formada no Grêmio e reforços PONTUAIS para as posições carentes. Hoje, por exemplo, na ridícula derrota para o “poderoso” Náutico, com a ausência do Fernando, nosso ÚNICO titular formado na base, tivemos que improvisar o ZAGUEIRO Vilson como VOLANTE. Na zaga, já tínhamos o VOLANTE Gilberto Silva improvisado como ZAGUEIRO, Werley, que não é lá grande coisa se lesionou e ficamos dependendo do “craque” Douglas Grolli, que não jogava desde Fevereiro, resultado: o tosco foi expulso e deixou o time com 10 jogadores nos minutos finais. Além disso temos que aturar o tal de Pará, que já não é bom na sua posição, a lateral direita, improvisado na esquerda. Deveríamos pelo menos para estas posições ter atletas da base, nem que fosse para a reserva. Dessa turma PODRE que está desastrosamente comandando o Grêmio não esperamos nada de bom, só aguardamos com ansiedade a chagada do final do ano para vê-los o mais longe possível do clube e depois começar do zero a reconstrução do nosso amado Tricolor.

    • Precisamos resgatar nossa tradição, nossa identidade, não estive presente no 2º Grêmio do Prata qualifica, mas li que o Baidekão contou que nos anos 80 a gurizada da base Gremista era preparada para passar aos profissionais, mas também para ganhar “deles”. Isso mostra a necessidade da identificação com o clube e sua história, só assim teremos de volta o Grêmio VENCEDOR.

  • Parabéns César,
    O post trás aquilo que falta ao Grêmio atualmente, contéudo! Ou seja, espera-se do clube a implementação de uma filosofia e que acima de tudo acredite-se no trabalho que venha a ser feito.
    Vivemos de mudanças de rumos. Cada resultado altera-se tudo (ou quase nada na verdade) do que tem sido feito, muito pelo pouco que se faz e pela falta de convicções.
    O Grêmio sem sombra de dúvidas precisa de pessoas como tu, que pensam em ajudar e trabalhar pelo clube e não fazer a politicagem barata que hoje infesta o Grêmio.

  • Grande César
    Externastes com perfeição o contexto na organização atual do futebol do Grêmio, e também apresentastes soluções, mostrando que entendes MUITO do assunto.
    São dessas pessoas que o Grêmio precisa, GREMISTAS e COMPETENTES.

  • Quem acompanha o trabalho do César e tem a possibilidade, como eu, de poder conviver e falar sobre Futebol com ele sabe que tudo o que foi escrito não é o acaso.

    Muito pelo contrário, o César apresentou uma filosofia e um pensamento concreto de futebol no qual ele acredita. E, exatamente são exatamente essas convicções que faltam aos atuais dirigentes do Grêmio.

    Pode-se errar, pode-se acertar, enfim, isso tudo faz parte do jogo. Porém, a probabilidade do acerto é muito maior quando se tem CONVICÇÃO do que se quer, como se quer e o que fazer para buscar isso.

    Parabéns, César! Com certeza, colocaremos esse trabalho no Grêmio e pode contar comigo nessa batalha.

  • Cumprimentos, César! Grande trabalho, companheiro! Amigo, soube, em 2009, que o Grêmio (sim, o próprio Grêmio) contava com um projeto semelhante: em síntes, registro que a meta era para que, em alguns anos, o grupo principal contasse com 70% de jogadores formado na base. O que aconteceu então? A gestão da época, a pedido de um ÚNICO senhor, DEMITIU o Coordenador do Projeto, por uma questão de “sentimento individual”. O caminho é esse, César: educação, estudo, família e futebol. O Grêmo teria de acompanhar cada jogador da base; trazer sua família para dentro do clube (não fisicamente, mas no sentido de participação,…). Dinheiro e celular, aos 12, 13, 14 anos,….não é o mais importante. Com um projeto assim, César, estaríamos inclusive combatendo um dos maiores problemas do futebol: EMPRESÁRIOS. Esses caras serve de “DOENÇA TERMINAL”! Poluem os meninos e consequentemente o futebol!!! Parabéns, comapnheiro!!

  • Sobre o Uruguay , que conheço como a palma da mão por ser descendente e visitar constantemente,tem outros fatores mais graves que devem se levar em consideração nesta análise.
    Aqui no Brasil se paga valores ASTRONOMICOS , tanto a atletas quanto a comissão técnica, e acaba por refletir diretamente nos valores de ingressos , mensalidades e produtos oficiais.No Uruguay o valor oficial de uma arquibancada é 100 pesos, que atualizado pelo cambio oficial custa 8 (oito ) Reais.Aqui , eu que fui sócio patrimonial desde 1994 e sempre paguei religiosamente literalmente abandonei o meu título, pois não concordo que uma mensalidade mais barata chegue a quase 80,00 ainda mais residindo no interior.O Uruguay trabalha dentro de padrões financeiros estabelecidos, onde os clubes, (nacional, penharol,Danubio , e Defensor )possuem a cultura de utilizar estruturas próprias de concenração e treinamento. Aqui a muitos anos se “importou” ade RJ e Sp as mordomias desnecessarias de hotel 5 estrelas para concentração.Se isto ganhasse títulos não estaríamos a tanto tempo na fila. Está mais que na hora do Grêmio trabalhar com uma visão de 10 ,20 anos e não se preocupar com o que acontece nas margens do lago Guaiba.O Imediatismo está nos levando não só a derrota, mas a uma catástrofe financeira. A atual direção demonstra que não tem nenhuma convicção sobre contratações,e empilha jogadores a peso de Ouro,sucateando a base,e com resultados pífios.
    Pergunto aos ilustres colaboradores do Gremio do Prata:
    Que diferença faz nós perdemos mais 1,2 ou 3 anos , se neste período realizarmos um grande trabalho de reestruturação na base , e este trabalho nos render frutos pelos proximos 10 ou 15 anos ?
    Não podemos mais pensar no ontem e nem no hoje, pois pensar exclusivamente no resultado do proximo jogo , apenas vai mascarár resultados. Temos no clube problemas estruturais, falta responsabilidade , como so Sr Pelaipe, e o sr Odone, que gastam fortunas em jogadores medíocres que vem apenas tomar o dinheiro do clube. Neste ritmo, em breve , as mensalidades de sócios custarão 300,00 a mais barata e continuaremos a não ter nenhum resultado, salvo a derrocada financeira.
    Será que Ed Carlos, Marcelo Moreno, Grolli, Tony,Miralles, Tuta,Marcel, escudeiro,entre outros seriam necessarios contratar? será que não existe na base ninguem que jogasse igual a estes citados ? O clube hoje é uma NAU A DERIVA , que atira para todos os lados, esquecendo que vai acabar a munição em breve.
    Enfim, se o Uruguey consegue formar jogadores em estruturas precárias e com recursos totais que mal pagam o salario de um dos nossos jogadores, a algo muito errado neste nosso clube.
    Pra finalizar:
    Gastando 7 milhoes por mês de folha de pagamento, e só conseguir um ridículo 14 lugar no ultimo brasileiro,é a prova de tudo que escrevi, pois gastando 3 milhoes de folha certamente no minimo teriam o mesmo resultado !
    carassai

  • A base do Grêmio precisa de oxigenação. O espelho não pode ser o futebol uruguaio.

    Estamos no Brasil e não no uruguai.

    Agora, os times vencedores formados pelo Grêmio mostravam brasura, entrega, raça e acima de tudo qualidade técnica.

    O futebol Uruguaio e assim como o argentino já foormaram grandes jogadores e times. Ao mesmo tempo que existia a entrega, determinação, reaça, a qualidade técnica estava junto.

    Futebol competitivo dá resultado com qualidade técnica.

    Um time só com raça, determinação, entrega e sem muita qualidade técnica até pode ser campeão, mas é exceção a regra.

    O Grêmio precisa inovar no trabalho de base. Precisa agregar profissionais: ex-jogadores, profissionais de Rio-SP, Uruguai, Argentino e até da Holanda para o desenvolvimento da qualidade técnica e da disciplina tática.

    Precisamos de metodologia inovadora e estratégia de captação de talento.

    Futebol se faz com talento. Uma equipe vencedora tem talento.

    Acho que o movimento precisaria debater mais sobre projeto das categorias de base.

    • Fábio, sempre que possível, estamos presentes em El Dorado. Temos bons relatos do trabalho feito, assim como detectamos alguns erros.

      Pelo visto, acho que não gostaste do que foi falado nesse post, por isso, peço que entre em contato pelo Fale Conosco e vamos conversar sobre o assunto. Não temos problema em debater sobre o assunto e tentarmos chegar a uma conclusão.

      Abraço!

      • Na verdade não critico o gremio prata! Muito bem escrito e bem informado o amigo César. Quando o assunto é categoria de base a critica é a todos os movimentos politicos. Quando falo em ir a um jogo em el dorado me refiro a conhecer comissões Tecnicas pessoas envolvidas e principalmente condições de trabalho. O grêmio é proprietario do ct de eldorado do sul a mais de 20 anos, e tudo que temos é alguns campos de treino e um mini estádio. É muito pouco! E agora o clube vai ter q construir as pressas para receber a base. Sugiro que conheçam o ct de cotia do são paulo, o ct do desportivo brasil(traffic), e alguns clubes da europa e até mesmo universidades americanas. O grêmio vai ter um salto de qualidade com a base toda em eldorado. Mas hj estamos atrasados e com dificuldade de revelar grandes craques, mas acredito que existam varios talentos. Um grande abraço aos amigos do gremio do prata e espero que não tenham me compreendido errado. A critica é para o crescimento do grêmio independente do movimento. Sucesso no pleito.

        • Tranquilo, Fabio. Com certeza, iremos ao CT de Eldorado e conversaremos. Temos consciência das críticas que fazes. já havíamos percebido a falta de condições para nossos futuros atletas.

          Abraço!

        • Grande relato Fábio, temos integrantes que trabalharam e estudam a categoria de base, bem como temos um projeto pronto para a revitalização do nosso Ct.

          Vale a pena vc conferir nossos projetos e ideias. Acredito que vá se identificar.

          Abçs.
          Lewis Hamilton.

  • Penso que exista uma certa distorção em alguns conceitos envolvendo o nosso Grêmio, na relação imagem/marketing x comportamento real. Compararmos com o futebol uruguaio é um exagero. Somos copeiros e valentes em termos de Brasil. E isso deve-se a cultura gaiata em que a grande maioria dos Estados nacionais formam seu povo. Nunca iremos nos equipar com equipes uruguaias e argentinas pelo simples fato de nossa cultura sofrer influências exatamente do que mencionei. Ficaremos num nível intermediário entre os pratenses e os gaiatos brasileiros…

  • O que me deixa um pouco louco é fato de que o Grêmio vendeu seus jogadores por muito pouco ou ficou com muito pouco. Só faltou ai o Felipe Mattioni, neuton e o Douglas Costa, não to lembraco como foi as negociação desses jogadores…

  • embora fazendo muitos anos acho q contribui para q na epoca o time principal conseguisse o titulo de campeao do mundo, visto q muitas vezes nos jogadores das categorias de base alem de treinar com os profissionais representamos o gremio em diversos campeonatos sendo q um deles fomos capeoes do campeonato gaucho de juvenil A junto com meus colegas q por felicidade se tornaram profissionais. è com muito orgulho q sito alguns deles joao antonio. enrique, e outros q nao lembro mas lembro q o tècnico era leoncio abel vieira e o preparador fisico era o professor lubian como erachamado. por isso gostaria q meu nome fosse lembrado e me mandassem a faixa de campeao dos estado de 1983 juvenil A sendo q na epoca eu nao ganhe poe q segundo a lia q era do departamento de esportes da epoca nao tinha mais. por isso sendo gremista de coracao gostaria de receber mesmo q fosse uma repleca da faixa de cameao juvenil A de 1983. grato pela atençao desde ja agradesço de coração. endereço: rua teixeira de freitas n 048 bairro Nonoai Passo Fundo Cep99025140 ok.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *