O primeiro Grenal da história ocorreu no dia 18 de julho de 1909. Na época, o Grêmio, o mais forte clube de foot-ball da capital gaúcha, foi desafiado pelo recém fundado Sport Club Internacional.

A história nos conta que o desafio foi proposto por quatro representantes do Sport Club Internacional, que encontraram os representantes do Grêmio com o desejo de que o clube fosse o primeiro adversário de sua recente história, que estava planejada para o dia 27 de junho.

Em um primeiro momento o major Augusto Koch, presidente do Grêmio, ofereceu o segundo quadro (algo como o time reserva) do clube para esta partida. O motivo conhecido seria a proximidade da referida data com um jogo contra Fuss-Ball, grande rival do Grêmio no início do século.

Com a negativa dos representantes do Internacional (eles desejavam enfrentar o time principal do Grêmio) a partida foi adiada para o mês seguinte, em um domingo, no estádio da baixada, primeira casa do Grêmio.

Às 15 horas e 10 minutos, as duas equipes entraram no campo da Baixada, precedidas pelos respectivos presidentes e pela banda da Brigada Militar.

O Grêmio apresentou um uniforme com camisa dividida na vertical com as cores metade azul e metade branca, com calções pretos. Já os jogadores do Internacional vestiam camisa listrada verticalmente em vermelho e branco, com calções brancos.

Sobre os uniformes, temos uma pequena curiosidade. Entre os anos 1904 o Grêmio usava um uniforme com camisa nas cores metade azul e metade preta, diferente dessa utilizada no primeiro grenal. Não encontramos registros históricos que justificassem mudança de camisa para este jogo.

Duas mil pessoas (público estimado) acompanharam o pontapé inicial dado por Edgar Booth, atacante gremista que, aos 10 minutos, marcou o primeiro gol do jogo e da história do clássico grenal. Booth ainda marcaria mais quatro gols naquela partida, sendo o restante Grünewald (4 gols) e Moreira (1 gol), totalizando o placar em 10 a 0 para o Grêmio, a maior goleada da história dos Grenais.

Escalações:

Grêmio: Kallfelz; Deppermann e Becker; Karls, Black e Mostardeiro; Brochado, Grünewald, Moreira, Booth e Schröder.

Internacional: Luiz Poppe; Portella e Simoni; Vignoles, Pires e Wetternich; José Poppe, Carvalho, Cezar, Mendonça e Carvalho.

Leandro Webster, Sócio gremista e integrante do Grêmio do Prata

@leandrowebster

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *