Pensando no GRÊMIO (como de costume), tentando entender a irregularidade das boas atuações e a regularidade das falhas na defesa, chego à mesma conclusão dos últimos 15 anos; o GRÊMIO está mal representado em sua diretoria de futebol.

É bem verdade que a atual direção demonstra um ímpeto maior do que a passada, bem como uma efetividade mais representativa em negociações e tratos (por enquanto). Mas não é o suficiente. Afirmo categoricamente, porque na condição de torcedora incondicional e apaixonada pelo GRÊMIO, vejo a repetição – o entra e sai do mesmo – destas administrações. E nenhuma delas com foco exclusivo no GRÊMIO, com a consciência de que nossa história e nossas características se atrelam e devem ser preservadas.

O motivo óbvio e claro para os insucessos, tanto nas copas como em partidas específicas, passa pela falta de apelo GREMISTA no vestiário. Hoje, temos um técnico criado no GRÊMIO que, quando teve um comandante que lhe instigava a honrar as tradições GREMISTAS, vestia a camisa TRICOLOR e apavorava na sua função. Mas, para minha surpresa, este mesmo homem, que agora tem a incumbência de comandar, quer e tem conseguido alterar completamente a forma do GRÊMIO, de se postar em campo e de jogar. O Roger não é um técnico ruim, mas falta alguém que o faça entender o mais simples: o GRÊMIO é o GRÊMIO!

Desde o ano passado, temos um problema escancarado – a bola aérea na nossa área. E como isto ainda não foi solucionado?  Porque ninguém da direção de futebol cobra isto dele? Se cobram, como continua tão reincidente – em todas as partidas sofrermos gols desta forma? Este é apenas um exemplo. Temos mais dificuldades. E o pior, atletas que sequer deveriam fardar, tirando a oportunidade de outros que certamente corresponderiam com muito mais efetividade.

Tenho o sonho e ainda a esperança de ver um GRÊMIO Forte, Aguerrido e Bravo. Mas não tenho dúvida alguma, de que esta postura só será vista em times montados com um pensamento GREMISTA, com o objetivo de fazer aflorar o GREMISMO em quem vestir a camisa. Tenho certeza de que estas características não vêm com o elenco e sim dos representantes do clube. Estes é que tem a obrigação, a missão, de fazer com que o time do GRÊMIO queira ganhar mais do que salário, mais do que notoriedade e mais do que vida mansa. O time do GRÊMIO tem que querer ganhar cada partida, cada campeonato. O time do GRÊMIO tem que querer ver o seu torcedor orgulhoso e de peito estufado. O time do GRÊMIO tem que ajudar a manter o nosso amor descontrolado pelo TRICOLOR.

Eu, nunca abandonarei. Mas chego a um momento, em que exijo que se coloque o GRÊMIO na frente de tudo. Chego a um momento em que não aceito mais incompetências e displicências. Levanto para brigar por ti, GRÊMIO! E assim como eu, meus irmãos do PRATA, que não tenho dúvida, elevarão o GRÊMIO a sua verdadeira grandeza.

Ana Vilches
@anagremiovedder

 

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *