Hermanos

Ao fim do jogo de ontem, era difícil achar um único sentimento para expressar o jogo que acabara, pois cada um de nós, amargurava sua dor.

Ainda no corredor da Arena, em voz alta gritei minha indignação, não sei se foi pelo o que disse, porque não lembro, mas se aproximou de mim um rapaz, jovem e magrinho, barbudo, e trajando o manto tricolor, que me disse:

“Mas senhor com esta barba branca, a idade pesa e te identifica, já viu o Grêmio muitas vezes campeão.”

Com esta aproximação se iniciou mais uma noite de extrema emoção, e creiam, as lágrimas não foram poucas.

Respondi que sim, vi um Grêmio, que não existe mais, ser campeão e jogar um futebol que nos orgulhava mesmo nas derrotas, onde aplaudíamos e cantávamos o hino em respeito a entrega de jogadores identificados com o modo de jogar do clube.

Jason Fernandes, seu nome, não é meu parente, mas poderia ser, filho, sobrinho, afilhado, não importa, ali naquele momento éramos só um, na intensa amargura, na profunda dor de mais uma noite difícil para nós Gremistas.

Ele começa a falar, e seu relato é duro de escutar, nesta altura já estamos fora da Arena, descendo a rampa, suas palavras de amor ao Grêmio e a dedicação para estar em cada jogo, sacrificando família, estudo, gastando horrores, como todos torcedores, o fazem se emociona. Sua tremenda dor por querer uma alegria, uma vitória, um título, fazem aquele homem, aquele menino ir as lágrimas, e aqui, é o pior e o melhor momento da noite fria e dolorida, o Lorenzo (meu filho) o abraça por um lado e eu pelo outro, confortamos a sua e a nossa tristeza, as lágrimas vem ao rosto, o vento enxuga, elas insistem a cair, porque esta loucura de Grêmio nos faz ir ao limite da emoção.

Já na rua, ainda abalado e tentando me recompor, surge mais um sentimento, no rol de tantos que ali estavam, o orgulho de forjar um grande Gremista, aos 16 anos e já curtido pela dor e choro de tantas desclassificações, o Lorenzo é o mais inteiro dos três que seguiam caminhando, nos fala palavras positivas, nos incentiva a acreditar, que é possível trazer o velho Grêmio volta, faz um discurso em alto e bom tom do Prata, empunha a voz ativa e convoca o menino barbudo a enfileirar nossas trincheiras, se eu já não tivesse assinado a ficha, naquele momento o outro menino de espinhas na cara, me convencia e comovia que ainda existe a força deste grupo para trazermos de volta o nosso Grêmio de tantas glória e conquistas.

Ao nos despedirmos, o menino homem barbudo, de cabeça baixa, semblante sofrido, nos agradece a força e o carinho, e seguimos o difícil caminho de casa na noite gelada.

Como o destino nos prega surpresa, aquela derrota de ontem, era para ser mais uma derrota de Grêmio, mas para mim não foi, foi o Grêmio que me colocou ali, para viver tudo isso e me fazer conhecer mais um amigo, sim mais um Amigo de Grêmio, forjado na dor de um insucesso, mas engrandecida pelo amor ao seu clube do coração. Se existe conforto nessa hora, ao passar por tudo isso, os fatos todos servem de balsamo, de alívio.

Acreditem, já adicionei o barbudinho em uma rede social, e ele ao aceitar a minha solicitação de amizade, faz um agradecimento e ao Lorenzo pelo acolhimento de ontem à noite, suas palavras são de arrepiar e voltar a se emocionar.

Ahh Grêmio que loucura.

Ahh Grêmio que loucura, mas obrigado Grêmio, estas muito doente, tenha certeza, vou continuar te ajudando a melhorar, e vais melhorar e voltar a ser o grande Grêmio, forte, aguerrido e bravo.

Agradeço a compreensão dos amigos.

 

César Fernandes

Coordenador do Projeto de Categorias de Base do Grêmio do Prata

@CesarFernanders

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

9 respostas a “O choro de criança de um homem barbudo”

  • E o nosso presidente teve a petulância de falar que este grêmio vencedor foi momentâneo. Não sabe nada de futebol o presidente do Grêmio FUTEBOL Porto Alegrense.

  • Baita texto meu irmão. Ainda tenho a esperança de voltarmos a chorar DE ALEGRIA pelo nosso Grêmio… Ontem foi mais uma noite daquelas “de doer”… nos primeiros minutos do jogo. já se via que O NOSSO GRÊMIO não estava em campo. E hoje lendo um blog do Rica Perrone, um paulista, torcedor do SP, que mora no Rio… sobre a classificação do Grêmio na primeira fase, ele, até ele lembrou do nosso maior jogador… Disse ele: “E nas oitavas chega sem o Grêmio, MAS SEM O OLÍMPICO… Claro que este teatro no qual jogamos há 3 anos não é o culpado pela nossa fase desgraçada, mas nas poucas vezes que estou conseguindo frequentá-lo, em cada uma delas aumenta ainda mais a saudade da NOSSA CASA, o NOSSO VELHO CASARÃO DA AZENHA… Quanto ao jogo da volta, sinceramente não tenho esperanças.Não com esse time frouxo, apático, burocrático, com um capitão chorão e bunda mole, jogadores medíocrescomo Fred, Bressan, Marcelo Oliveira e um “departamento de futebol” sem conhecimento algum do que éacultura de futebol do Grêmio vencedor que aprendemos a amar e torcer, totalmente ultrapassado… que tristeza… mais do mesmo… Grande abraço !!

  • Grande depoimento meu mano! Com certeza nós voltaremos a ver o nosso Grêmio brilhar como antes! Nosso coração é gremista em todas as horas, e estamos prontos para o que der e vire!!! Vamos em frente e confiança a gente sempre tem. Tudo de bom e um grande abraço!!!!

  • Cada vez mais perco minhas esperanças, diga-se de passagem ´´quase esgotada“ de ver um Grêmio que nunca vi jogar, que meu avô tanto lembrava e se emocionava ao falar.

    Em território inimigo já não acredito em uma mobilização o suficiente para triunfar e mesmo que aconteça o improvável acho que é adiar o sofrimento.

    Grande abraço aos amigos do Prata.

  • Lindo texto, César! Amor e torcida o Grêmio tem! O que lhe falta são gestores de “bola”; dirigentes com capacidade, conhecimento e “compromisso” com o clube e não com suas vaidades ou projetos pessoais’. Falta ao Grêmio quem (gremistas e ou grupos) escancare, torne público que Bolzan não conhece futebol, q Rui é incompetente e Pacheco parou no tempo! Independente de estar ou entrar nesse Conselho omisso, fraco, descompromissado…..essa situação rem de ser passada a quem chora pelo clube. Aliás, depois de conhecer a política do Grêmio, o melhor seria não termos conselheiros!!!!
    Lágrimas e emoção, junto com críticas q apontem as razões q levaram o Grêmio a esse estado de tristeza e e diminuição é q poderão estancar os 15 anos de redução institucional e fiascos!
    Fora Rui e Pelaipe!

  • Quem viveu um pouquinho da política do Grêmio de forma intensa sabe que fica difícil arrumar forças.
    Quando eu disse que a volta do Koff da forma como aconteceu ía nos garantir mais anos de insucesso e a ressurreição dos mortos hoje talvez seja ainda mais fácil a minha compreensão.
    Admiro demais vocês do Prata por ainda terem forças, eu confesso depois do que vi perdi quase todas, e perdi forças em relação a mudar alguma coisa no Grêmio para poder manter minha paixão, não queria perder essa também.
    De longe mando força para vocês e torço que não percam as esperanças, em nome daqueles que já perderam.
    Um grande abraço

  • Lamentável escutar no pós jogo que foram surpreendidos, temos o sistema SAP que por si só já é uma grande ferramenta. Temos sites de estatísticas e até a entrevista do goleiro do Palmeiras tivemos. Como diria o Renato, TUDO MASTIGADINHO e mesmo assim fomos pegos de surpresa.
    Agora esqueçam as estatísticas, existem outros meios de avaliar e prever um adversário, O OLHO DO CLUBE, os olhos de nossos diretores, jogadores e comissão técnica… e é aí que me representa que não estão vivendo GRÊMIO como deveriam viver.
    Parece que teve um jogador entrando no tema de “torcedor de verdade”? Pediria pra ele me explicar o que seria um torcedor de verdade… e depois pediria pra ele me explicar também o que é um JOGADOR DE GRÊMIO DE VERDADE.
    Respeitem a torcida do GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE, JÁ ESTAMOS ACOSTUMADOS A SEGURAR O ROJÃO, O CLUBE TEM 112 ANOS.
    Vivam Grêmio como a torcida vive…
    RESPEITEM A IDENTIDADE DO CLUBE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *