Desde pequeno, aproximadamente, aos 10 anos, freqüento as dependências do Estádio Olímpico. Como a maioria dos Gremistas, fui acompanhado do meu pai que, apesar de não ser sócio na época, fazia questão de me levar aos jogos. Obviamente, por 2 anos, não precisei comprar ingresso, mas, a partir dos 12 anos, meu pai decidiu me associar no Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Aos 13 anos, comecei a ir sozinho ao Monumental. Melhor dizendo: ia com meus amigos, mas sem o meu pai ao lado. Como todos os Gremistas, sabemos muito bem das dificuldades de se ir a um jogo de futebol. Há todo um planejamento envolvido, desde aonde estacionar o carro, até pegar ou não chuva no caminho. Isso sem contar os flanelinhas que te arrancam dinheiro.

Ingressei na vida política do clube. Desde o início, me avisaram: “…é um caminho sem volta!” ou, então, “…deve saber separar o torcedor do dirigente”.  Bom, depois de 1 ano e meio de vivência política, começo a perguntar: será que essas pessoas, que me deram os conselhos escritos anteriormente, estavam com a razão? Será que, realmente, o dirigente não pode ser torcedor? Será que, algumas decisões políticas não podem ser tomadas pela paixão, somente pela razão? Eu tenho a coragem e certeza de responder NÃO para todos esses questionamentos.

Ano passado, demos o pontapé inicial para uma “Nova Era” em termos de estádio. Os Gremistas, após alguns anos de expectativa, finalmente realizaram suas migrações à Arena. Eu, particularmente, estou no setor Oeste com cadeiras numeradas, logo, pago a quantia de R$ 169,00. Foram-nos prometidos mil e uma coisas: a manutenção dos direitos dos sócios, um novo estádio sem remendos e com bom funcionamento e a profissionalização do clube em todos os seus departamentos, mas, principalmente, naquele que deve ser o mais importante a meu ver: relação entre sócio e clube.

Será que eu sou o único sonhador e Gremista platônico que ainda acredita no Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense tendo uma relação social com seu torcedor ao invés de ser somente o futebol. Explico: por que não mais investimos na Ilha Grande dos Marinheiros? Por que as quadras do Cristal estão largadas? Por que o retorno ao torcedor deve ser, única e exclusivamente, o futebol?!? Será que o sócio deixará de ser visto apenas como um cifrão?

Voltando a questão Arena e as promessas feitas ao associado, vamos por partes. Já se passam dois meses, pagamos duas mensalidades e, até o final de fevereiro, veremos APENAS 3 jogos de 6 no novo estádio. Os outros jogos foram todos repassados ao Olímpico. Pergunto: é justo eu pagar 100% a mais em mensalidade (uma vez que, no Olímpico, pagava R$ 86,00) e ter que acompanhar os jogos no concreto? Pior: e aqueles que fizeram sua migração para as cadeiras inferiores da Arena, é justo assistirem os jogos no concreto do Olímpico e continuarem pagando o preço de um conforto não oferecido? Há um texto, também nesse sentido, com perguntas muito mais objetivas e pertinentes com o título “A pergunta que não quer calar”.

Ora, em épocas de eleições, o que mais se falou foi em profissionalização, ciclo virtuoso e toda essa ladainha que sabemos ser da boca para fora. É muito fácil pregar a profissionalização, mas, na prática, aceitar que os sócios paguem um valor X por um produto e receberem um Y totalmente diferente e, pasmem, pior do que está ASSINADO em contrato. Por favor, senhores, vamos manter a coerência. Todos aqueles que pregaram profissionalização nas eleições, principalmente, os Conselheiros, deveriam estar pedindo explicações e cobrando os gestores da Arena Porto-Alegrense.

Esses dias, ouvi o Nestor Hein, atual vice-Presidente do clube, falar sobre o caso. Palavras dele: “O sócio tem todo o direito de ser ressarcido, desde que entre em litígio com o GRÊMIO, não com a Arena Porto-Alegrense, muito menos com a OAS. A cobrança deve vir em cima do GRÊMIO”. Agora, eu respondo: perfeito, Nestor. Obrigado pelas explicações. Mas, o senhor esqueceu de avisar um pequeno detalhe ao seu torcedor e associado: quem entra na justiça contra o Grêmio é SUSPENSO temporariamente do Quadro Social. Vocês perceberam, vou ser ameno nas palavras, a “malandragem”? O sócio tem direito de cobrar por algo que foi ACORDADO entre ambas as partes (sócio e Arena), mas, consequentemente, perde o direito de ser sócio! Por favor… É simplesmente o direito de não ter direito a NADA!

Outro fato que me assusta bastante é a mentira contada pré migração. Foram garantidos todos os direitos de cada uma das categorias de associação do Quadro Social, desde o locatário de cadeira, até o Sócio Torcedor. Foi-nos PROMETIDO que nada, absolutamente nada, mudaria. Nenhum direito, assim como nenhum dever, seria alterado. Pois bem, temos o primeiro jogo oficial da Arena, contra a LDU, e percebemos que os 50% de desconto ao Sócio Diamante valiam apenas para setor da Geral. Os demais setores foram computados apenas 10% de desconto sobre o ingresso. Argumentação dos envolvidos: a palavra “até” no contrato e estatuto dessa modalidade. Ou seja, “(…) até 50% de desconto sobre o ingresso”. Ora, ora, ora… É muita má fé! Por essas e outras mentiras que não me surpreende palavras como as do advogado da OAS: “A Arena é uma casa de espetáculos. Quando o Grêmio joga lá, a responsabilidade é de quem LOCOU o estádio”. Ou, então, um Regimento Interno da Arena em que o Capítulo II, intitulado “Dos Direitos e Deveres“ apresenta somente DEVERES ao associado.

Na foto, a pressão da carga é grande, consequentemente, NÃO permite que as porcas sejam rosqueadas até o batente. Usou-se maçarico para dilatá-las e, ainda assim, não conseguiram rosqueá-las.

Isso sem contar nos inúmeros casos de descasos que percebemos ao ir à Arena: grade de segurança sem parafusos, porcas sendo soldadas a fim de alargá-las, remendos em alguns pilares de sustentação e, obviamente, o lamentável caso da falta de segurança para se realizar a conhecida “Avalanche”. Que fique claro: não estou defendendo o direito ou não de se realizar a festa, mas, já que a temos, é OBRIGAÇÃO do clube proporcionar o mínimo de segurança para que a mesma seja realizada. As fotos foram tiradas por um Engenheiro Civil consultado pelo Movimento Grêmio do Prata.

Aonde estão os inúmeros bares que nos prometeram? Até onde eu sei, enfrentei fila de 30min para comprar um lanche no intervalo. Cadê a organização no entorno do estádio que nos prometeram? Até onde sei, enfrentei uma filha de 40min, esmagado, para entrar pela rampa Leste. Onde foram parar as infraestruturas de 1º Mundo que tanto nos prometeram? Até onde sei, houve engarrafamentos de 1h a 2h de espera para sair do estádio.

Nessa foto, o tubo de aço não foi dimensionado de maneira correta para suportar a garga e foi preciso uma GAMBEARRA (jargão da construção civil) para fortalecer a estrutura.

Não estou aqui tentando expor nosso clube ou secando a atual gestão. Muito pelo contrário. Todos temos a maturidade suficiente para saber diferenciar o campo, o jogo, os 90 minutos das questões administrativas. Não é por apontar falhas de execução que irei deixar de torcer pelo nosso Grêmio. Não! Como ente político, além de vibrar e alentar, também é minha OBRIGAÇÃO fiscalizar. Tudo, absolutamente tudo, pelo bem e direito do associado.

Concluindo esse longo desabafo, acho que dei motivos suficientes do porquê um dirigente JAMAIS deve se afastar do seu lado passional, do seu lado torcedor. Somente vindo das arquibancadas/cadeiras é que sabemos das dificuldades que um apaixonado pelo Grêmio passa a cada jogo. Sabemos que não são poucas. Somente vivenciando cada ato de descaso é que realmente um dirigente vai se preocupar em solucioná-los quando estiver no “poder”. Caso contrário, se o dirigente for “plantado” no clube sem apresentar quaisquer afinidades e raízes com o Grêmio, continuaremos com esse ciclo desvirtuoso.

Nessa foto (tirada por um torcedor), a grade de proteção não apresenta parafusos.

Plantar falsos profissionais que, antes eram entes políticos e, agora, recebem remuneração, é querer brincar com a minha inteligência, aliás, com a nossa inteligência, e falsamente trepidar a bandeira da profissionalização. O dirigente deve, com certeza, ser um torcedor. Devo sofrer como um torcedor, deve vibrar como um torcedor, deve criticar como um torcedor, deve elogiar como um torcedor, mas, principalmente, deve PENSAR como um torcedor.

A não ser que tu (dirigente do Grêmio) esteja somente preocupado com tua vaga de 40 e tantos anos de box do carro ou, então, se a Tribuna de Honra continuará ou não na Arena. É muito fácil ser Gremista quando se faz com que o clube trabalhe por ti ao invés de tu trabalhar pelo ele…

Luciano Müller
@lucianosmuller
Coordenador Geral do Movimento Grêmio do Prata

_______________________________________

Abaixo, segue o protocolo oficial do Movimento Grêmio do Prata que entregamos na sexta-feira, 01 de fevereiro, na Secretaria da Presidência do Grêmio um ofício, relatando problemas de segurança encontrados na Arena do Grêmio. Fotos retiradas no dia 30 de janeiro, por ocasião do jogo contra a LDU, válido pela Libertadores da América, comprovam a colocação de gradis, em mais de um ponto do quarto nível do estádio, sem a devida fixação, o que coloca em sério risco a segurança dos torcedores que frequentam este setor. Além do Presidente Fábio André Koff, enviamos uma cópia ao Presidente do Conselho Deliberativo do Grêmio, Raul Régis de Freitas Lima. Para nossa surpresa, somente o segundo nos retornou.

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

40 respostas a “Dos deveres do associado…”

  • A Arena está marginalizando o sócio do Grêmio. Uma vergonha o que está acontecendo e o pior, a Direção é omissa com quem de fato é o Grêmio. Nós queremos respostas para todos os questionamentos e que se cumpra o direito do sócio. Não entreguem o Olímpico até que tudo esteja OK. Vistoria técnica do CREA já. Parabéns ao Grêmio do Prata por se preocupar com a integridade, física e moral, dos gremistas de verdade.

    • Qual a tua solução André? Tu concordas em entregar teu único patrimônio para receber algo inacabado e potencialmente perigoso para teu associado?

    • Este André faz parte dos torcedores preocupados com a vaga de 40 e tantos anos de box do carro ou, então, se a Tribuna de Honra continuará ou não na Arena. hahahahaha

    • André,

      com quais argumentos tu afirma que eu não tenho condições de ser torcedor e dirigente do Grêmio? Aceito qualquer critica, constitutiva ou não, mas desde que venham com argumentos.

      Eu apresentei meu ponto de vista apos um parecer técnico e estudo do caso. Apresentei dados e argumentei em cima disso.

      Não problema algum em mudar de opinião, caso ache que estou errado, mas preciso de argumentos para isso. O xingamento pelo xingamento não me serve.

      Abraço!

      • Luciano,

        Sou sócio contribuinte desde 2006 e já tive alguns problemas no Olímpico, mas nada de muito grave. Mas na Arena estou com um problema sério, pois assim como eu, minha esposa é sócia, porém ela é diamante e quando fui realizar a migração me garantiram que o local onde escolhi que foi o setor Oeste, porém sem cadeiras numeradas, ela também poderia acessar. A minha surpresa foi no jogo contra a LDU que simplesmente não abriram a venda para o anel supeiror, consequentemente ela não pode ir ao estádio comigo. O retorno que recebi do pessoal da Arena foi que não seriam comercializados ingressos para o anel supeior, ou seja, na hora de migrar tudo podia, agora a conversa é outra.
        A solução agora será minha esposa cancelar a sociedade, pois pra ela não há mais vantagens. É isso que o Grêmio quer? Perder sócios?
        Fico triste com essa situação, não era isso que eu imagnava para uma Nova Era como estavam chamando!
        Fica meu desabafo.

        Abraço,

        Daniel Rodrigo oliveira

        • Daniel,

          Desabafo mais do que justo. É importante o sócio relatar todos os descasos que sofre, pois, somente com esse feedback, poderemos evoluir e construir um Grêmio cada vez maior e melhor.

          Grande abraço!

  • Parabéns Luciano
    Um texto perfeito, o bom uso das palavras em defesa do associado que tanto é penalizado. Coerência e verdades apresentadas de forma transparente, mais uma vez o Grêmio do Prata na voz do seu Coordenador Geral mostra sua luta em prol do torcedor tricolor.

  • Não pode a corda arrebentar do lado do torcedor, nos piores momentos do Grêmio trocamos de jogadores, dirigentes, treinadores e até de executivos, porém os únicos que nunca trocam e sempre estarão do lado do Grêmio são os torcedores, são os sócios.
    PRESERVEM A TORCIDA.
    PRESERVEM OS SÓCIOS.
    PRESERVEM O GRÊMIO.
    O Grêmio é um clube centenário, não pode uma construtora colocar cabresto no tricolor e na sua gente, aliás, não existe cabresto para uma torcida de 8 milhões de pessoas, nascemos livres e morreremos livres.
    Cabresto não pega.

  • O torcedor, sócio ou não, tem voz. E essa voz se chama Grêmio do Prata! Não haverá omissão! Estamos SEMPRE vigilantes.

    TRABALHEM PARA O GRÊMIO, SENHORES! TRABALHEM PARA O APAIXONADO E FANÁTICO TORCEDOR E ASSOCIADO GREMISTA!

    PRECISAMOS DE MENOS “EU”, E MAIS “GRÊMIO”!!!!

  • É com enorme tristeza que relato o fato de ter solicitado o cancelamento da minha associação de torcedor diamante.
    A muito tempo contribuo mesmo quase não indo aos jogos, mas após os acontecimentos pré e pós jogo contra ldu (perfeitamente expostos pelo texto) eu me sinto cansado de bancar o bobalhão abrindo mão de uma grana que me faz falta SIM e sendo tratado como se o clube me fizesse um favor. Infelizmente começo a acreditar que essa politica elitista vai fazer muito mal ao clube que tanto amamos.

    • Fernando,

      Me entristece ler que Gremistas estão deixando de ser sócios e pararem de realizar aquilo que mais gostam: ver um jogo do Grêmio em campo.

      O que posso te dizer é que tu está no teu direito. O clube, a cada ano que passa, tem se preocupado mais em tirar dinheiro do torcedor ao invés de fidelizá-lo.

      Os últimos gestores acham que podem brincar com nossa paixão. Sabem que fazemos sacrifícios pelo bem do Grêmio. Mas, chega um momento que a paciência tem limite e a comida tem que ser posta na mesa. Prioridades.

      Posso te prometer que eu, assim como os amigos do Grêmio do Prata, sempre lutaremos para termos pessoas como tu no estádio. Pode contar sempre conosco!

      Grande abraço!

      • Bom temos um problema, pagamos por uma coisa que não estamos usufruindo, qual a proposta do Grêmio? Valores pago a mais poderão ser retirados em produtos na loja do Grêmio? ganharemos ingresso para levar acompanhantes aos jogos? acho que podemos provocar algo em troca visto que o ressarcimento do dinheiro é difícil.
        Luciando continue se possicionante, e colocando suas idéias para podermos ver uma situação de vários ângulos. Queremos ter um Grêmio cada vez mais forte e com mais sócios. Abraços

        • Maragno, excelentes ideias! Com certeza, encaminharei essas propostas à direção.

          Quanto ao posicionamento, esse é o nosso lema: melhor pecarmos pela paixão do que pela omissão.

          Grande abraço!

  • Sou sócio torcedor diamante e chego a conclusão de que não vale a pena continuar associado. Se eu quiser a todos os jogos (e possívelmente não poderei pois moro no interior) compraria o passaporte da OAS. Ou seja, serei sócio da OAS porque me clube não me oferece vantagens como associado. Pior, mentem quando dizem que oferecem desconto de 50% para menores de 15 anos. O desconto é limitado e só vale para a arquibancada. Quem levaria seus filhos pequenos para o meio da Geral assistir de pé a um jogo de futebol? Lorota, é só pra fazer de conta. Na verdade, os filhos não irão mais ao estádio ver o Grêmio jogar com seus pais pois o ingresso mais barato é R$ 80,00. Se puder colaborar em algo para melhorar a situação de realmente é parceiro do Grêmio, o Torcedor, me coloco a disposição.

    • Emerson,

      Já proibiram os bumbos. Já proibiram as barras. Já proibiram as bandeiras. Já proibiram a banda. Já proibiram a cerveja.

      Daqui a pouco, meu caro, vão proibir o torcedor de entrar no estádio. Infelizmente, o clube não pensa no seu torcedor. Penso somente no quanto irá lucrar. Não que isso não seja importante, obviamente que é, pois precisamos de recursos para montar time.

      Mas, como diz um integrante do Prata: o dia que o Grêmio depender do QS para montar time, ao invés de ter um marketing forte com patrocínios fortes, podem largar tudo que estamos quebrados.

      É inadmissível o descaso com o torcedor. Pode contar conosco sempre!

      Abraço!

  • Paulo Parabéns Luciano, aonde está o conforto que nos foi prometido na arena começou pela migração que não tivemos orientações com antecedência para fazermos nossas escolhas tudo foi atropelado sou sócio desde 1979 e moro a mais de trezentos km de Porto Alegre eassim mesmo vou aquase todos os jogos do nosso Gremio até agora não perdi nenhum jogo na arena e concordo contigo Luciano acesso complicado engarrafamentos lancher4ias com filas interminaveis,banheiros alagados, cadeiras apertadas para chegarmos ao nosso lugar temos que passar expremidos entre os socios e as cadeiras no intervalo nem da vontade de sairmos do lugar pois temos que passar atropelando todo mundo é aonde estão as facilidades prometidas o conforto prometido.

  • cara, fiquei impressionado com o descaso com o torcedor na ARENA não imaginava que fosse tanto assim, as filas, o acesso que e uma merda, la dentro R$ 10,00 um cachorro quente, tão de brincadeira….Matriculo 74914.

  • Arena, camarotes, cadeiras gold, bares…Bah, que implodam o Velho Casarão e, por mim…que coloquem abaixo a “casa de espetáculos” da OAS e que o Imortal na sua essência volte a jogar na Baixada.

  • Sou sócio patrimonial com título na parede, associado desde 1981 tive camarote no olímpico e quatro cadeiras locadas, sempre pague minhas mensalidades no primeiro dia útil de cada ano, em todos esses 32 anos, hoje tenho
    20 cadeiras Gold e o camarote 65, no setor leste, já gastei com moto boy mais de 500,00 reais, pois sou um
    empresário e de N. Hamburgo, já que nao tenho tempo para estar retirando ingresso para estacionamento e as
    cadeiras a cada jogo, concordo com tudo o que falam, tenho varias fotos de acabamentos mal feitos, das minhas
    20 cadeiras gold, três ainda ate a data de hoje nao tem as cadeiras, e no setor leste-226-fila I- cadeiras números 1, 4, 5- . Quero dizer que quando o Gremio foi para a segunda divisão, nao senti tanta vergonha como estou sentindo
    agora. Um abraço a todos e contem comigo.

    • Epifanio,

      Muito importante esse teu relato. Mostra que o sócio, como um todo (diversos setores), estão passando por casos de mal tratamento e descaso. Não é somente o Sócio Torcedor, mas grande parte do associado.

      Uma pena. Nossos dirigentes não podem esquecer que o 12º jogador (sua torcida) nunca muda de time. Logo, merece o melhor dos tratamentos.

      Conte conosco sempre que precisar. Abraço!

  • É com tristeza que eu afirmo que pela primeira vez nesses quase seis anos de sócio eu também estou pensando em cancelar a sociedade. Quase não vou em jogos, ano passado fui em apenas dois (fiasco contra o Palmeiras e o Grenal chamado de “último jogo do Olímpico”, mas nunca abri mão de ajudar financeiramente o único time do meu coração. Mas cada vez mais eu me sinto afastado do “espírito” do Grêmio, por motivos como estes que você, Luciano, e os demais colegas expuseram. Quero muito acreditar que o Grêmio dará a volta por cima, mas sinto que este é apenas o início de uma era de problemas e divergências dantescas.

    • Daniel,

      Como relatei a outro Gremista mais acima, é com tristeza que leio teu comentário. O torcedor jamais deveria passar por essa situação: pensar em deixar de contribuir ou se desassociar da sua verdadeira paixão.

      Mas, com certeza, caso tu se desassocie, estará no teu profundo direito, uma vez que o clube não lhe tratou como deveria: com comprometimento e respeito.

      Espero que os responsáveis deem a volta por cima e resolvam todos esses empecilhos.

      Grande abraço!

  • ok.suas ponderações são ótimas se não ajustarmos agora.

    a situação ficará pior pois o clube e um ente abstrato

    seus sócios e torcedores são o cocreto.

    vilson

  • O Grêmio não será responsabilizado por nada!
    Qualquer problema é de responsabilidade da Arena.
    A carta poderia ser um alerta ao presidente do Grêmio, mas “a pica” não é dele.
    Agora…que fria o Sr. Odone nos colocou.
    Achei uma m… o tratamento recebido no jogo contra a LDU.
    Se for 20 anos assim, prefiro deixar de ser sócio e assistir aos jogos no conforto de minha casa.

  • Perfeito. Vendo estas fotos chego a pensar, estão esperando acontecer uma tragédia para tomar alguma atitude ?? Recém o primeiro jogo oficial e muitos já estão se dando conta do péssimo negócio feito pelo Grêmio, que, em troca dessa “moderna” e inacabada arena, está abrindo mão do seu patrimônio (Olímpico Monumental) e, principalmente dos seus torcedores. As vantagens que os sócios torcedores tinham evaporaram, o estádio ainda está em obras, os acessos são complicados, as saídas também, enfim, qual é o “acréscimo” que essa arena trará ao Grêmio e sua torcida ? Óbvio que a OAS e a Arena POA pretendem ELITIZAR o público, lucrando ainda mais e fazendo a troca dos verdadeiros TORCEDORES Gremistas, por abonados EXPECTADORES. O mais triste é ver o clube Grêmio aceitar isso passivamente. A OAS vai receber o valorizado terreno do Olímpico, vai lucrar construindo sobre este terreno, vai lucrar construindo ao redor da arena e ainda vai receber 35 % do lucro da arena na parceria por 20 anos !! No velho e surrado Olímpico aconteciam problemas, alguns episódios de descaso com os sócios, mas nada comparado ao que já vimos em pouco mais de 1 mês da arena. A torcida e o próprio time MANDAVAM no seu estádio, o Monumental É A NOSSA CASA, o local onde nos sentíamos à vontade e o time não precisa pedir permissão para treinar ou jogar. Infelizmente estão acordando muito tarde, até mesmo o presidente Koff, que certamente não aprova os termos desta parceria. Pena ele ter se envolvido tão tardiamente. Infelizmente não há mais tempo de rever este negócio e preservar nosso patrimônio, nossa torcida, nossa história e o próprio GRÊMIO como clube, temo que com o passar do tempo nos tornemos cada vez mais reféns deste nefasto negócio. Gostaria que houvesse um revolta e mobilização da torcida, mas, pelo que vejo, lamentavelmente a maioria segue “deslumbrada” pelos “encantos” da moderna e inacabada arena da OAS. Dói demais ver nossa história jogada no lixo… finalmente estão montando um time condizente com o tamanho do clube, mas e o nosso patrimônio ? Deixem a tal arena com a sua verdadeira dona, a OAS, aos que dizem que esse novo estádio é fundamental para o Grêmio: como vivemos E VENCEMOS 110 anos sem ele ?? Vamos acordar GREMISTAS, nosso futuro está em jogo !! ETERNO, IMORTAL, OLÍMPICO MONUMENTAL !! A VERDADEIRA CASA DO GRÊMIO, CONSTRUÍDA PELO CLUBE E PELA SUA TORCIDA !!! Grande abraço aos amigos do Prata, Carol Santos, Cesar Fernandes e Gabriel Tessis !!

  • Sou sócio torcedor desde 2009, fiquei confuso com a história da migração, pensei que seria automática, a dois meses ñ recebo a cobrança, simplesmente deixei de ser sócio sem ao menos uma viso por e-mail ou telefone ? Assim que o Grêmio quer superar o rival em número de sócios e profissionalização ?

  • Boa noite, eu gostaria de expressar a opinião mais sincera de um gremista que frequenta jogos e já está sofrendo há 12 anos sem títulos. Bom primeiro coloco o pensamento de que os Dirigentes do Grêmio são politicos, defendendo apenas os interesses particulares e de um grupo de “comparsas”, é praticamente quadrilhas uma do Sr Koff e outra do Sr Odone, quando sai um tudo tava errado, e a reciproca é verdadeira. Em um segundo tópico quero alertar para a nossa mediocridade hora somos um time aguerrido, de raça, mas lhe pergunto cade o futebol? o gol? e a vitória? Não formamos craques, formamos goleiro, lateral e volante, assim não se ganha de ninguem, a mentalidade tem de mudar futebol é gol, é alegria, e é vitória, não se vive de derrotas.
    Quero que pensem nisso como algo a ser debatido no nosso clube, pois muitas vezes já pensei em deixar de ser sócio, de ir ao estádio, mas a esperança sempre me leva, um dia ainda serei feliz, mas não quero que meus filhos torçam para outros clubes. Até as vitórias.

  • Luciano,

    Sou sócio desde 2006, nunca atrasei uma mensalidade, mesmo que no começo não usufruía de muitos recursos financeiros. Acredito que esse ALGO que sentimos pelo Grêmio e que não sabemos explicar, pois não se compara com amor, paixão, razão,,, é muito aquém disso, deve ser respeitado por aqueles que comandam o clube, se é isso que eu posso chamar!!!
    Não quero deixar de ajudar o clube, pois além de torcedor e frequentador da geral, sou do consulado regional do Vale do Taquari e Rio Pardo e além de mim estou expondo o sentimento de mais de 30 integrantes da Geral/Estrela que também são sócios e concordam com os relatos acima.
    Luciano, faça o que vc puder para devolver ao torcedor a simples essência de torcer, pois no que depender da torcida o Grêmio jamais estará sozinho!!!

  • Em 2007, eu trabalhava no Rio de Janeiro e tornei-me sócio torcedor diamante e agora concluí que não tenho nenhuma vantagem em continuar pagando minhas mensalidades. 10% de desconto no ingresso em lugares impostos pela OAS e não escolhidos por mim é dose pra leão. O torcedor gremista na Arena é apenas um detalhe e o nosso clube não está nem aí pra nós. O sentimento apaixonado do torcedor foi mandado pra escanteio e o que vale é ajoelhar no milho para a OAS. É lamentável que a única saída do tocedor seja deixar de ser sócio, mas não resta outra alternativa. Onde será que isso vai parar?

  • Luciano,
    Entendo a tua indignação e é direito de todo Gremista manifestar sua opinião contra ou a favor, faz parte da democracia.

    Mas convenhamos,estamos na fase de acertar as arestas, assim eu entendo, e no acertar as arestas responsabilidades por erros devem ser cobradas tanto na questão física da obra quanto na operacional.

    Li um comentário acima que Koff não tem nada com isso. É meia verdade. No que se refere a todo esses equívocos é lógico que não tem, mas quando aceitou a ser novamente presidente do Grêmio não tem como separar os problemas.

    Não vejo um bicho de sete cabeças pra resolver esses problemas todos. Estou sentindo um pouco é de má vontade da atual direção, talvez por questões dessa ronha política existente entre grupos de “caciques” em encaminhar as soluções. Assim como “ah, quis construir essa m e . . . agora vou deixar ele quebrar a cara com o torcedor.

    Mas fica a pergunta a esse tipo de atitude: mas e o torcedor? e o Grêmio? como ficam.

    As questões físicas da obra e os problemas que vem apresentando entendo ser de responsabilidade do Antonini.

    As questões de organização e promessas não cumpridas responsabilidade da Grêmio Empreendimentos e do CD.

    As ligadas ao direitos do torcedor deveriam ser preservados pelo Presidente do Grêmio.

    Por fim, conheci a Arena no jogo contra a LDU. Achei magnífica, um orgulho de ser Gremista. Percebi esse mesmo sentimento em quase a totalidade dos Gremistas com cruzei caminhando pelo seu interior e não podemos permitir que nós mesmos acabemos com as coisas que são nossas. Não contamos com ninguém, imprensa, poder público, políticos, ninguém, somos nós e só nós mesmo. Cobremos então sem dar moral pra adversário de quem tem a responsabilidade no momento de encaminhar as soluções, e aos dirigentes que passaram, a juízo de cada um entendo a má fé, nunca mais conduzí-los ao poder no Grêmio.
    É isso, um forte abraço Luciano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *