Tenho lido e ouvido muitas declarações de que GREnal e Gauchão não tem importância. E acho mesmo que comparando com LA COPA, esta competição perde no grau de prioridade. Agora, ver o GRÊMIO tomar 4 do São Luiz e em seguida perder o GREnal, visivelmente sem reação, me preocupa – e não me importa se é time B, misto ou titular, porque é o GRÊMIO.

Com o resultado de ontem corremos o risco de sermos rebaixados no Gauchão?!! Sinceramente, para dirigir o futebol do GRÊMIO, penso que é premissa querer ganhar sempre ou, pelo menos, ter a preocupação de não apresentar um futebol tão deprimente em campo. E esta é exatamente a palavra que definiu o time do GRÊMIO, ontem no GREnal e nos últimos jogos do Ruralito. Ora, se ganhar o Gauchão é pouco, imagina ser rebaixado nele. Fiquei especialmente irritada com as declarações conformadas da direção, com relação a esta partida.

Já é fato histórico que não se larga completamente uma Copa em detrimento a outra. Muitas equipes já provaram isto e o próprio GRÊMIO, quando teve a intenção de dedicar-se exclusivamente a LIBERTADORES, teve a prova amarga de não ganhar nem uma, nem outra. E a frustração, neste caso, obviamente é dobrada.

Depois de quase duas décadas de administrações desastrosas, omissas e aproveitadoras, já não tenho mais paciência para amadorismo e muito menos para testes no GRÊMIO. Quero e exijo que quem assuma o GRÊMIO, tenha objetivo, ação e principalmente GREMISMO. E que não seja necessário explicar que GREMISMO constitui na vontade de elevar cada vez mais o clube; vontade de empilhar canecos – todos – e vontade de ver seu torcedor satisfeito e orgulhoso.

Nesta semana, circulou aquela foto em que jogadores do GRÊMIO confraternizavam com os do Inter; exatamente dias antes ou um dia antes do GREnal. Não quero, de forma alguma, fazer apologia à violência e muito menos promover qualquer declaração reacionária, mas para mim, parece um grande desrespeito com o torcedor e com a camisa do GRÊMIO. E não atribuo este erro em divulgar tal foto aos jogadores; atribuo sim, a quem os contratou que não fez questão de explicar a verdade sobre as rivalidades e o quanto isto pode modificar a opinião do torcedor a respeito de um jogador. Sabe o que acontecerá no próximo GREnal em que estes atletas atuarem? Qualquer erro será exacerbado, pela imagem de camaradagem que ficou – estarão jogando entre amigos, pra quem não importa o resultado final.

O que o GRÊMIO mais necessita agora, é de gente identificada, gente que acredita na diferença do nosso clube para outros. O GRÊMIO precisa urgente, que nossa história seja respeitada, que nossa camisa seja glorificada e, principalmente, que haja parceria e cumplicidade dos dirigentes com seus torcedores. Mas vejam bem, parceria e cumplicidade a favor do GRÊMIO, não dos nomes.

Reforço que LA COPA tem que ser nossa este ano. Mas não será uma festa tão completa, se formos rebaixados no Gauchão. O torcedor do GRÊMIO merece o máximo. O torcedor do GRÊMIO merece comemorar e merece poder demonstrar o seu amor com o espetáculo que sempre proporcionou. Que esta direção lute por nós! Que nos traga as faixas! E que fique do nosso lado para provar que juntos somos, de verdade, imbatíveis e imortais.

“…E dale, dale GRÊMIO! Porque eu to tri louco e vou sair campeão!…”

Ana Vilches
@anagremiovedder

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

12 respostas a “Libertadores x Gauchão – Eu quero os dois”

  • Existem três coisas que fazem um torneio ser importante.

    1 – Dar dinheiro
    2 – Dar prestígio
    3 – Dar vagas à outras competições mais importantes

    O Gauchão não dá nenhuma delas. É uma competição que só atrapalha. Atrapalha o calendário e expõe atletas do time principal à lesões, ameaçando tirá-los de torneios que, ESTES SIM, são importantes.

    Passou da época de disputar o Gauchão com time B. Que esta opção não seja apenas uma opção PELA Libertadores, mas uma opção de CONCEITO. Qual seja este conceito: relegar o Gauchão à importância que ele merece, sendo disputado pelo time de aspirantes.

    Att.
    André.

    • André

      Compreendo os argumentos. Além disto, sinto que o nível do Gauchão, enquanto competição, é muito baixo.

      Mas nem isto nem as coisas que disseste podem ser justificativa.

      Sem dar importância nenhuma ao Gauchão, montaremos o time onde? No papel? Além disto, fosse pelo nível técnico baixo, é aí que teríamos a OBRIGAÇÃO de vencê-lo, SEMPRE! Se precisamos tirar o foco dele para ganhar alguma outra coisa, se é necessário tanto esforço para vencê-lo, ALGO ESTÁ ERRADO.

      O Grêmio deveria ter elenco forte o bastante para abalar-se pouco ou nada com os riscos associados à esta competição. Se não há, algo está errado.

      Se o Gauchão é o mínimo, é o mínimo que devemos fazer. Já passou da hora!!

      Fernando.

  • É muito oportunismo. Querer falar de rebaixamento em gauchão, logo após o Grêmio ter conseguido a sua classificação para LA? O time principal só deverá jogar jogos que sirvam de preparação. E logicamente, depois de um jogo extenuante na quarta-feira, não haveria condições para que o grupo principal jogasse o “grenada”. Como na próxima quarta-feira já terá se passado uma semana da nossa competição principal, ai sim, que se coloque em campo todos os jogadores que estiverem em plenas condições, para o aperfeiçoamento da equipe num todo(tanto tático, técnico, quanto fisicamente). Agora, vamos parar de dar ouvidos aos repórteres da gaúcha e ficar criando caso de rebaixamento. Quem perde tempo com gauchão não ganha LA.

  • Sinceramente, só admito este tipo de avaliação por quem torce sem um mínimo de cuidado com a realidade.
    Claro que é lindo querer ganhar tudo e sempre! Claro que o torcedor tem que ter este desejo. Mas é claro também, que este sentimento não tem compromisso com a realidade,não precisa dirigir o dia-adia do clube e do time.
    Se o Grêmio tivesse tentado disputar o Gauchão com o time titular, teria usado os mesmos jogadores na quarta, contra a LDU e na quinta contra o São Luiz. Em Porto Alegre e em Ijuí.
    Claro que o torcedor sem compromisso quer time titular no Gauchão e na LA. E se um titular for lesionado no regional, como Kléber, em 2012, querem reposição imediata e ainda mais qualificada.
    Essa é a diferença entre quem torce, simplesmente, e quem torce e dirige.
    O Gauchão há muito tempo é um campeonato deficitário, cuja única razão de ser é manter os times do interior que, por sua vez, mantém a FGF. Grêmio e Inter se revezam na chiadeira contra o calendário, a cada vez que um dos dois está na Libertadores. Se querem campeonato regional, reduzam-no a um torneio com meia dúzia de participantes mais a dupla.
    Quanto a querer proibir jogadores dos dois times de confraternizar ou serem amigos, isso é absurdo. O que precisamos é do oposto: que torcedores e jogadores saibam separar adversários de inimigos. Eu não entendo gente que odeia o seu adversário. De nenhum dos dois lados.

    • Fernando, gostaria de fazer dois comentários:

      1. Em 1995, o chamado “banguzinho” foi a campo e cumprou o seu dever.

      2. Não há exigência nenhuma de titulares jogando, nem no texto da Ana, nem no meu comentário. O que se quer é time COMPETITIVO jogando no gauchão TAMBÉM, sejam reservas ou titulares. É GRÊMIO que eles defendem ali, então, que sejam Grêmio!

      Se a competitividade de nossos reservas é aquela vista no jogo de ontem, não temerei pelas lesões em Gauchão, e sim por qualquer lesão em qualquer campeonato, pois uma única desfigurará completamente o time.

      grato e dale Grêmio!

    • Fernando, em nenhum momento afirmo que quero o time titular no Gauchão. O que sei, com meu comprometimento real com o GRÊMIO, é que meter um banguzinho, que não segura o time na primeira divisão de um campeonato bem menos importante, é no mínimo, irritante. Quanto a tua avaliação sobre quem torce e dirige, te digo, há muito tempo quem dirige o GRÊMIO, esquece de torcer para o GRÊMIO; e é o que vem comprometendo o crescimento do clube.
      ” Se querem campeonato regional, reduzam-no a um torneio com meia dúzia de participantes mais a dupla.”
      nisto concordo plenamente contigo.
      O fato de os jogadores estarem confraternizando com jogadores adversários, me incomoda sim. se alguém aqui duvida da rivalidade muito grande e verdadeira, este sim, não conhece a realidade do GRÊMIO e do RS. não é questão de ódio, é rivalidade e rivalidade implica em cada um defender a morrer o seu lado. como eu disse no texto, não quero apologia à violência, mas quero quem usa a camisa TRICOLOR defendendo o GRÊMIO, com paixão e com respeito ao torcedor.

  • Jogadores e comissão técnica com salários de 200 mil, 400 mil, 500 mil e por aí vai, não querem responsabilidade???????
    Nosso título onde começou a arrancada para a América e o Mundo em 1983 foi o gauchão de 1977. Nosso título onde começou a arrancada para a libertadores de 1995 foi o gauchão de 1993.
    Querem sair campeões da América, do Brasil e do Mundo e não conseguem levantar um campeonato Gaúcho.
    Nosso último título foi um campeonato gaúcho (2010) onde perdemos a final em casa, caso não tivessemos ganho qual seria nossa última taça??? Aposto que foi outro gauchão, já sei, foi o gauchão de 2007.
    Me desculpem aqueles que não desejam o campeonato gaúcho, mas pode ser o único título nesse ano de 2013, tanto para nós quanto para nosso coirmão, hoje o campeonato mais próximo de nós é o Gaúcho.
    Faz 11 anos que não levantamos nenhuma taça grande, se continuarmos com o pensamento de que gauchão não vale seguiremos mais uns 15 anos na seca, podem esperar, TRATEM DE JOGAR PARA GANHAR O GAUCHÃO POIS CORREMOS O RISCO DE FICAR MAIS UM ANO SEM NADA…

  • Jogo de quarta-feira contra o São José é perfeito para colocar time titular no gauchão. Jogo dia de semana em casa e longe do compromisso na Libertadores.

    É só fazer os pontos necessários para ficar livre do gauchão e continuar com time B. Gauchão é campeonato deficitário e semi-amador.Um campeonato mal formulado do Noveletto.

    Perder clássico não é bom, mas vimos quem pode e quem não pode jogar com a camisa tricolor.

    @denisfpalmeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *