Já no sábado, após a derrota contra o São José e vinda do Vanderlei Luxemburgo, eu pensei com meus botões: vamos ser destroçados no GREnada.

Eu via um time apático, desmotivado, lento, morno. E, realmente, assim o Grêmio estava. Sou da geração que o anti-jogo faz parte dos noventa minutos. Um time faltoso é diferente de um time violento. E, após o anuncio do novo treinador, meu pilar havia sido destroçado.

Sou veemente contra essa “cariocarização” que se implementou no Grêmio nos últimos anos. Como diz um amigo: futebol que prioriza o uso do “garrão” ao invés do peito ou bico do pé. O tão aclamado futebol bonito e moderno, mas extremamente odiado por mim, pois é inútil. Futebol é briga, disputa, gol e nada mais do que isso.

Pois bem, voltando ao assunto. Foi com aquele espírito derrotado que fui assistir o GREnada. Obviamente, sempre apoiarei, vibrarei e alentarei, mas, não conseguia enxergar uma vitória.

O jogo começa e o Grêmio sufoca. O Grêmio vibra. O Grêmio briga. O Grêmio está muito bem posicionado. O Grêmio, finalmente, está com tesão! Vi um time com muita vontade de vencer, brigando em cada canto do gramado. A tão pedida união da experiência com juventude foi posta no setor defensivo, Souza encaixou muito bem como um terceiro homem de meio campo, Marco Antônio fez sua melhor apresentação com a camisa Tricolor, Júlio César faz a diferença pela esquerda quando está em campo e, sem dúvida, Kléber destruiu no jogo.

Contudo, tenho que destacar o grandioso Roger. Segundo as palavras do próprio Kléber, foi “a melhor palestra que assisti nos últimos anos”.

Querem saber por quê? Digo: Roger é da geração que eu me baseio e mencionei acima. Ele sabe quais são nossas raízes, nossas características, nossas virtudes. Falou da história do Grêmio, do tamanho do Grêmio, da grandiosidade que é Grêmio e, principalmente, da importância daqueles jogadores fazerem a sua história no Grêmio. Assim como ele fez, sendo titular de um dos maiores times que já se viu jogar na Província de São Pedro. Mexeu com o brio dos jogadores. Conversa de homem pra homem, olho no olho. Se atualizou. Em dois dias, Roger conseguiu dar um padrão de jogo que não se viu em dois meses de Caio Júnior.

Dizem não haver uma fórmula mágica para vencer. Pois, Roger nos mostrou que existe uma muito próxima da ideal: união do conhecimento com a identificação!

Cada vez mais claro que ex-jogadores devem estar presentes no dia-a-dia do clube. Roger, Dinho, China, Tarciso, Mazaropi, entre tantos outros. Juntar suas experiências práticas com a teorização de profissionais qualificados.

Parabéns, Roger! Parabéns, torcida Gremista! E, Pofexô Luxemburgo, escute e aprenda com o nosso passado também. Roger é uma relíquia do clube. Vimos que ele ainda tem muito mais a acrescentar e alegrias a nos proporcionar.

Luciano Müller
@lucianosmuller


Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

9 respostas a “Fórmula mágica”

  • faço minhas as tuas palavras, sem exceção.
    por isso sempre tenh em mente, não precisa dar muito tempopara saber se o técnico entende do riscado, bastam poucos jogos. roger comprovou isso e em tempo menor do que esperado.

  • Perfeito. Mérito total do grande Roger, exemplo de profisionalismo, carater, dedicação e GREMISMO. Com sua inteligência, conhecimento e emoção, fez o time jogar bola com uma raça que há muito não víamos, deu gosto de ver o Grêmio, o verdadeiro Grêmio, espero que ele tenha voltado de vez. Pena que por enquanto não podemos colocar o “Luxa” de AUXILIAR do Roger… ainda me causa muita estranheza ver esse cara no Grêmio, mas como torço PRO GRÊMIO e não para o treinador, seguirei apoiando. Grande vitória, obrigado Roger, ganhar deles, dentro do chiqueiro não tem preço !! Parabéns aos amigos do Prata pelo belo trabalho, sempre pensando apenas no Grêmio, nunca esquecendo de exaltar a sua história !! Contando os dias para no final do ano, independente dos resultados de campo, LIMPAR o Grêmio e tirá-lo das garras dos aproveitadores !! Saudações TRICOLORES !!

    • Muito obrigado, Adriano! São esses comentários que nos fazem arregaçar as mangas e trabalhar cada vez mais. Pode ter certeza que estamos montando um projeto sério, profissional e consistente para levarmos o GRÊMIO ao seu lugar de origem: O TOPO DO MUNDO! Grande abraço ao amigo.

  • Bah indiada,essa coluna disse tudo o que eu pensava. Aliás, após assistir a partida contra os morangos, tive uma sensação de que perdemos uma grande oportunidade. Iremos gastar muitas cifras com o Luxemburgo, a quem, como foi dito na coluna, em nada está harmonizado com as raízes do clube. Poderiamos ter efetivado o Roger, um de nossos indômitos, conhecedor do gremismo, o exemplo da dignidade e da indignação, em resumo, a CARA DO GRÊMIO.

  • Gostei muito da forma como o Roger expôs aos jogadores a identificação e a vontade de fazer história que cada um deve ter antes de pisar em um gramado para disputar qualquer partida que seja vestindo este glorioso manto. Luxemburgo em sua coletiva de apresentação, falou que quando treinava outros clubes, tinha como maior preocupação, antes de cada jogo no Monumental, fazer com que seus jogadores perdessem o medo de encarar o GRÊMIO, porque realmente era assim. Se Luxa passar isto para o grupo do GRÊMIO, aliado ao que Roger passou na palestra, se realmente os jogadores entenderem este espírito, então realmente o GRE-nada, não será apenas um jogo de superação, e sim o início de uma nova fase.

    • Exatamente, Edson! Nossos adversários perderam o medo de jogar no Olímpico. Temos que resgatar essa imagem, nossas raízes. Temos que voltar a ser o GRÊMIO temido, aguerrido, forte e bravo!

  • Jogadores como o Douglas(com o estilo de) e treinadores como o
    Luxemburgo(com a filosofia de futebol de) não podem ser COGITADOS
    para atuar no Olímpico.

    O torcedor que acha uma boa para o clube profissionais com estas
    características, ou faz parte da ala massa de manobra da torcida
    ou não conhece a história do clube !

  • Lembrando desse GREnal (mesmo uma semana depois), abro um sorriso imenso de orgulho, me vem na memória todas as nossas façanhas!
    Para nós gremistas e até mesmo os amargos, não foi só mais um GREnal vencido pelo Grêmio, foi bem mais importante que isso. Nesse jogo o GRÊMIO foi o GRÊMIO.
    Meu coração se encheu de esperança novamente, em 2013 teremos nosso GRÊMIO de volta, nem tudo está perdido! Com gremistas como o Roger, levantaremos taças e se Deus quiser voltaremos a conquistar o mundo.
    Dá-lhe GRÊMIO !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *