Com o objetivo de solicitar um posicionamento do Presidente do Conselho de Administração do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, o senhor Romildo Bolzan Júnior acerca da sua participação como candidato nas eleições partidárias de 2022, o movimento Grêmio do Prata, em conjunto com os movimentos Grêmio da Torcida, Grêmio em Movimento, O Grêmio Primeiro, Grêmio Vencedor, Grêmio Independente e Sócios Livres protocolou no dia 21/03/2022 junto ao Conselho Deliberativo do clube um requerimento pedindo uma resposta clara sobre possível candidatura do nosso presidente ao Palácio Piratini. 

A justificativa para tal atitude é simples: Entendemos que, pelo momento que vive o clube, essa indefinição poderá trazer riscos futuros, uma vez que o principal compromisso (e obrigação) da Direção gremista para esta temporada deveria ser o de devolver o clube para Série A do futebol brasileiro.

No dia 19 de abril de 2022, ou seja, 29 dias após o protocolo do nosso requerimento, recebemos a resposta do Presidente Romildo, encaminhada pelo presidente do Conselho Deliberativo, o senhor Carlos Biedermann, conforme abaixo:

Percebam que a resposta do Presidente Romildo está datada em 06 de abril, dia em que o Conselho Deliberativo do clube se reuniu para aprovar as contas da sua gestão no exercício de 2021. Mesmo assim, a resposta só nos foi encaminhada no dia 19 de abril, um dia após aquela desastrosa coletiva convocada pelo presidente em que, além de defender a manutenção do vice-presidente de futebol que rebaixou o clube em 2021, também fugiu da resposta quando questionado sobre as eleições partidárias.

Por qual razão o presidente do Conselho Deliberativo, o senhor Carlos Biedermann demorou tanto tempo para nos encaminhar esta resposta?

Por qual razão o presidente Romildo nega uma resposta ao torcedor sobre o seu envolvimento nas eleições partidárias de 2022?

É inadmissível que, em meio a uma disputa de Série B, após ser rebaixado no ano em que mais gastou com futebol em toda sua história – na casa dos 500 milhões de reais – tenhamos que conviver com incertezas, insegurança institucional e divisão de foco na liderança do clube devido a compromissos partidários.

Estamos em uma temporada em que o clube não pode se dar ao luxo de errar!

Conflito de Interesses

Não é de hoje que a torcida do Grêmio demonstra força nas urnas na hora de eleger seus representantes políticos no âmbito federal, estadual e municipal. Até aí, nenhum problema, desde que não possuam vínculo vigente com o clube. Entretanto, desde a década de 90 a política mais se serviu do Grêmio do que ajudou ao clube. Quantos políticos foram eleitos graças à força da torcida tricolor? Quantos deles devolveram ao Grêmio tal empenho na hora de defender os interesses do clube?

Não queremos pedir que o Grêmio seja beneficiado nos gabinetes na hora de uma tomada de decisão, uma vez que existem leis e regras que devem ser aplicadas de maneira igual a todos. Porém, na hora em que o Grêmio está envolvido em algum julgamento ou trâmite político não temos quem represente de fato os interesses do clube. Vide o caso Arena (e a novela que virou o entorno do estádio), que até hoje nos tira o sono enquanto outros clubes foram beneficiados politicamente em reformas, construções e cessão de terrenos através de contrapartidas nem sempre atendidas. 

Em sua resposta, o presidente Romildo alegou tratar-se de uma questão pessoal e, assim sendo, não vê necessidade de se posicionar sobre o tema, mantendo sua decisão em aberto, alimentando as especulações da imprensa e, repentinamente observando seu nome ser citado nas pesquisas eleitorais. Novamente questionamos:

Qual o interesse do presidente Romildo em seguir “em cima do muro”?

Discordamos respeitosamente do presidente Romildo quando ele afirma se tratar de uma “questão pessoal”. Trata-se de uma questão que influencia o futuro do Grêmio, por isso este posicionamento precisa estar bem claro.

Ser presidente do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense requer deixar de lado questões pessoais!

Além do presidente Romildo e dos demais membros do Conselho de Administração do clube, o presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Biedermann, também precisa estar ciente das suas responsabilidades frente a um pedido assinado por tantos conselheiros de diferentes movimentos e deve endossar este pedido de posicionamento do presidente Romildo a fim de defender os interesses do Grêmio, não de uma gestão em seu último ano de mandato.

Com essa indefinição do presidente Romildo (que pode durar até AGOSTO), novos questionamentos surgem:

1) O Conselho de Administração está alinhado com o presidente Romildo em caso de uma futura candidatura do mesmo?

2) Caso o presidente aceite concorrer ao pleito eleitoral, quem assumirá o clube?

3) Existe um plano de ação de “passagem” da liderança?

O grande objetivo do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense para 2022 é o retorno à Série A. Isso sim trará alegria e conforto à maior torcida do sul do Brasil. Qualquer objetivo alheio a este interesse não deve estar em pauta.

Contamos com o apoio do presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Biedermann e seguimos no aguardo resposta clara, objetiva e DEFINITIVA do presidente Romildo Bolzan Jr sobre este tema.

O GRÊMIO NÃO PODE SER PREJUDICADO POR INTERESSES PESSOAIS NESTE CONFLITO POLÍTICA X CLUBE

Porto Alegre, 28 de abril de 2022.

Movimento Grêmio do Prata.

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *