Você pode suspeitar de algo que possa acontecer ou descobrir o que vai ocorrer. As percepções não excluem a possibilidade de que fique vulnerável a uma série de sentimentos. Nunca estamos devidamente preparados para assimilar ou enfrentar mudanças. O que fica ainda mais evidente na despedida de um ídolo.

Sempre é difícil acompanhar a saída de alguém que admiramos e reverenciamos tanto. Ainda mais quando se trata de um ícone estampado em faixas, camisetas, tatuagens e instrumentos. Alguém que alcançou o status de unanimidade em dois estados com culturas tão distintas como Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. O único brasileiro que, jogando e treinando, conquistou a Libertadores da América. Uma pessoa tão “gigante” que foi eternizada em forma de estátua assim como Júlio César, William Wallace e Simón Bolivar. Uma lenda viva no cenário do futebol sul-americano. Estamos falando de Renato Portaluppi.

Nosso “Homem Gol” partiu para um merecido período de descanso, enquanto que, começamos uma nova saga em nossa história. Os tempos são de reorganização, incerteza e angústia. Questões que só podem ser respondidas pelo novo comandante da casamata gremista.

Tiago Nunes nasceu e foi criado nos pampas de nossa querida Santa Maria. Até iniciar a sua trajetória profissional, tenho certeza que teve que escolher um lado. Não sei se foi ximango ou maragato. Mas isso, fica no passado. Já com carreira em andamento, trabalhou nas categorias de base do Grêmio FBPA entre 2013 e 2014. Inclusive, participou da formação de atletas que integram o plantel profissional como Darlan, Matheus Henrique e Jean Pyerre.

Confesso que gostei da entrevista de apresentação, principalmente, dos seus conceitos de futebol. Time propositivo, verticalidade, intensidade e muita utilização da base. Demonstra que conhece a aldeia e ressaltou a identidade gremista. Parece ter competência para resgatar aquele estilo forte, aguerrido e bravo que tanto desejamos. Já provou que é adepto do jeito “copeiro” ao ganhar a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil. Além disso, já provou tanto
na base como no profissional, que sabe como manter a nossa hegemonia em Grenais.

O primeiro resultado positivo já apareceu no tradicional Gauchão e agora vamos em busca dos três pontos em solo argentino pela Sul-Americana. A expectativa é a melhor possível, visto que, retornaremos a cancha onde comemoramos a nossa terceira Libertadores. Mas, acima de tudo, um trabalho vencedor necessita de paciência e sequência. E isso peço a cada gremista. Vamos exercitar uma de nossas principais virtudes: o apoio incondicional.

Seja bem-vindo ao “mundo” de uma das torcidas mais fanáticas das Américas, Tiago Nunes. Quem sabe essa sua volta não tenha um propósito maior? E como disse o próprio em depoimento à imprensa: “A vida nos reserva reencontros”.

Éderson Moisés Käfer, integrante do Grêmio do Prata.

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *