Aptos a sonhar

Edilson_capa

Prezados Amigos de Grêmio.

Já passa da meia noite. E eu, sem sono, venho até a cozinha tomar um café e desfrutar da companhia do meu rádio. Não se trata de um radinho de pilha daqueles que meu velho levava aos jogos nos tempos de criança, mas de algo fixo ali ao lado da churrasqueira, integrado de maneira definitiva ao retrato da cozinha.

O fato é que estas noites de Grêmio regadas a muito Portaluppi não permitem aos olhos aquele descanso cotidiano dos dias normais. A gente perde o sono, fica literalmente, “ligado na tomada”.

Vou tentar não me alongar muito…Sobre o jogo, diria que O TIME DE RENATO, no que tange aos movimentos defensivos, tem a rara qualidade de transformar a tão negligenciada e pouco valorizada tarefa de defender, na “arte de bem defender”. A sincronia de movimentos na recomposição das linhas de quatro, somada ao constante “intercâmbio” com os dois homens situados mais a frente naquilo que poderíamos denominar de terceira linha, salta aos olhos tal como a harmonia de uma Orquestra Sinfônica criteriosa e engenhosamente articulada.

E tudo isso num “vai e vem” muito similar à transição perfeita entre os acordes de uma sinfonia regida por um Maestro a realizar movimentos aparentemente desprovidos de qualquer pré-requisito e capacitação.

É verdade!

As vezes não se dá a importância merecida e justa, ao Maestro. Talvez, por ele agir e atuar com aquela simplicidade típica de alguns grandes personagens da história da humanidade.

Ora meus amigos! O time que está aí a nós brindar, é o time de Renato. Renato, nosso Maestro. Simples, Sábio, desprovido das “penas” atribuídas aos pavões do conhecimento rebuscado.

Pra quem ainda dúvida da simplicidade, basta se remeter a um tal Zinedine Zidane. As coisas simples da vida, são as que mais valem a pena. E nelas é que encontramos a sabedoria, e as vezes, a genialidade. Já devem ter escutado em algum momento da vida a seguinte frase: “ele faz o difícil parecer fácil”.

Ainda escrevendo sobre a partida, cabe atribuir também ao jogo com a posse de bola, essa capacidade de “saltar aos olhos”.

Não sejamos injustos!

O Grêmio com a pelota nos pés, articula uma engenhosa progressão de movimentos por parte de suas peças, que confunde o adversário. De óbvio mesmo, Ramiro caindo com extrema eficiência ali pela direita. No mais, uma engrenagem difícil de decifrar.

Temos um Gestor de Grupo a beira do gramado, também! Gestor capaz de enfiar na cabeça dos atletas o espírito de equipe e a importância do “respeitar o clube e sua torcida”

Vejam aí!

Estão visíveis as qualidade de Renato como Gestor de Grupo em todos os jogos. Só observar atentamente aos atletas, antes, durante e após as partidas.

Enfim, não há como não falar de Renato hoje.

Onde vamos chegar?!

Não sei.

O fato é que estamos aptos a sonhar, mesmo e apesar das limitações do nosso Depto de Futebol no que tange a montagem de grupo e, porque não dizer, ao conhecimento da matéria. Falta-nos um pouco mais de imposição física e psicológica no time. Falta-nos por exemplo, O Camisa 5. Camisa 5 de estatura, liderança, força e poder de realizar a Tarefa-Mor da função: proteger a zaga como um Leão, para então somar-se ao Tigre que se encontra com aquele 4 nas costas. Walter Kanemann. Falta-nos alguma coisa além da 5? Falta.

Mas, dada à qualidade dos adversários nas três competições, me reservo o direito de hoje, só falar da 5.

Porém, estamos aptos a sonhar e a acreditar, mesmo sem O 5. Afinal, temos Renato Portaluppi, o Super Herói da minha filha de 5 ANOS.

O Sonho Não Pode Acabar, Renato.

Obrigado.

Rogério Fallavena
Vice Presidente do Grêmio do Prata

4 Responses to Aptos a sonhar

  1. Cláudio Medeiros disse:

    Demais!! Grande texto e avaliação.

  2. MORALES disse:

    Sim. Falta um cabeça de área como Musto, Santiago Ascacibar, Maurício Martinez, Gustavo Colmán

  3. Fernando D'Andrea disse:
  4. Ana Vilches disse:

    Que texto espetacular, Falla!
    “Ora meus amigos! O time que está aí a nós brindar, é o time de Renato. Renato, nosso Maestro. Simples, Sábio, desprovido das “penas” atribuídas aos pavões do conhecimento rebuscado.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *