Estou pensando aqui em dar o retrato da partida deste domingo e eis que me vem à cabeça a razão do atraso no qual se encontra o RS já faz tempo.

Aqui no Estado mais que em qualquer outro local, os dois pólos, os dois extremos, as duas pontas, os dois lados. Ou Azul (certo, correto e único caminho sensato a seguir) ou não azul. Ou sim ou não.  E é fato que por vezes até, essa marca, característica local, nos atrasa a ponto de fazer por exemplo a cidade virar as costas para seu rio. E nesse ponto realmente estamos mal demais graças a esse antagonismo burro que nos assola. E aí, não saímos do lugar.

Mas não sempre!

Ontem na Arena, os dois tempos, os dois lados, as duas faces, a maneira correta de fazer as coisas e a maneira errada ou até o não fazer. Mas por sorte nossa ontem saímos do lugar, e deixamos o modo errado de encarar um adversário medíocre lá no vestiário, retornando ao segundo tempo com uma postura absurdamente oposta àquela do primeiro tempo.

E por isso o gancho da divisão já característica do nosso Estado, que como ilustra o jogo, pode nem sempre remeter ao mau resultado, para sorte e alegria nossa.

Mas vamos ao jogo…

Do time sonolento ao time incansável!

Da preguiça à adrenalina, salvo raras exceções como o garoto Moisés, constante nos dois tempos. Movimentação incansável, digna de um homem de meio. E ainda some-se a isso uma pitada de Alan Ruiz (o homem que em 12 minutos acabou com os vermelhos fazendo dois gols e de quebra ainda levou à loucura e ao desespero o time e banco deles criando uma confusão em campo), fazendo àquela cena que resultou na expulsão do Guerrero que de guerreiro nunca teve nada para mim.  Moisés, a meu ver e observação, o nome do jogo!

Mas vejamos…

O que exigir de um jogador que atue no meio?! E mais! O que deve fazer um homem que atue nas duas primeiras do meio em um Grêmio que aspire TÍTULOS?! Fazer exatamente àquilo que os chamados titulares não fazem e que é para mim motivo de preocupação para um  2016 de Libertadores (teremos Boca e River não?!). E cabe lembrar aqui a boa atuação daquele que em nada tem de lateral. Marcelo! Ali, e digo isso desde sua chegada, o único local em que pode dar contribuição ao GRUPO.

O Grêmio precisa rapidamente rever seus conceitos de futebol para poder sim continuar na ascendência criada pelos efeitos da contratação do nosso Róger. Na subida vertiginosa proporcionada pelo trabalho de Róger.

E isso passa por compreender que INTENSIDADE, FORÇA DE MARCAÇÃO E “OLHO DE TIGRE” são quesitos OBRIGATÓRIOS para um jogador de meio e QUANTO MAIS das primeiras duas do meio. E nesse ponto Edinho, no grupo atual titular incontestável para mim desde sempre, e agora Moisés ( um garoto promissor), detém tais qualificações SIM! Só espero que lá nas entranhas do Dep. Futebol e na Comissão Técnica não estraguem esse garoto retirando dele essa, digamos, “GANA DE SER GRÊMIO”. Que não façam o que Autuori e seus boleiros, na gestão desastrosa de Duda (onde empilhamos derrotas em clássicos), fizeram com o alemãozinho Adílson. Não podemos, por exemplo, admitir que o “velho” Douglas seja por vezes e em algum MOMENTOS das partidas, o mais incansável e indignado após a perda de bola em nosso meio! Isso é sinal de alerta para criarmos o cenário positivo em 16.

A partida de ontem foi sob todos os aspectos sim, esse eletrocardiograma bem gaúcho e portoalegrense que vai de lado a outro da moeda.

Cabe ressaltar as virtudes de Róger na virada de jogo, bem como não perder de vista que estávamos jogando contra um arremedo de time. E que em ano de Copa, “muy” provavelmente estaremos enfrentando BATALHAS, e não jogos de campeonato brasileiro. Jogos estes que não exigem o retrato e reflexo daquilo que deveremos ter ano que vem para por exemplo, jogar na capital portenha sob a neblina de uma noite de inverno emoldurada por um cenário bem diferente daqueles encontrados por aqui. Aí amigos residem minhas preocupações, na minha certeza de que o ouro que reluz agora e aqui possa (talvez) não o ser de fato e na hora em que se separam os guerreiros dos boleiros.

O Grêmio é grande demais para morrer na praia com “ilusões de Maracanã”.

Rogério Fallavena

Vice-Presidente Grêmio do Prata

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

5 respostas a “Orla do Guaíba e Ouro que reluz”

  • A montagem da equipe para o ano que vem começa na busca por um lateral direito TITULAR e um lateral esquerdo TITULAR.
    Galhardo não sabe cruzar aquela bola com efeito procurante que todos os laterais campeões no Grêmio cruzavam, na hora de marcar só cerca e geralmente deixa o atacante cruzar, não sabe dar o bote certeiro na hora de desarmar e para completar é muito franzino, com este porte será aniquilado caso se confirme a vaga na Libertadores pelos adversários sul-americanos.
    Marcelo Oliveira pode ser uma boa pessoa, porém ser capitão é outra estória, não tem perfil de capitão dentro das 4 linhas. Na marcação é um poco melhor que o Galhardo mas é fraco no “pé de ferro”, não se cria em uma Libertados, desmorona com facilidade nas divididas. O cruzamento também não é seu forte.
    Bom, respeito que pensar contrário, mas para uma LIBERTADORES estes dois servem como reservas.
    Nelinho, Eurico, Dirceu (Jarrão), Ladinho, Paulo Roberto, Casemiro, Alfinete, Aírton, Anderson Lima, Roger, Patrício e por aí vai… posso ser mal acostumado.
    Agora é a hora do César Pacheco e Rui Costa… chega de vaga, quero TAÇA!!!

  • O JOGO ONTEM FOI RUIM,SO CONSEGUIMOS ALGUMA COISA CONTRA O JUNTAMENTO CARIOCA DEPOIS QUE O GUERRERO FOI EXPULSO, ABRIR O OLHO, PARA O BRASILEIRO ZINEDINHO VAI, E MEIA DUZIA DE “ENGANADORES”(NO SENTIDO DE QUALIDADE TECNICA), MAS PRA LIBERTA O BURACO É UM ABISMO( QUEM NAÃO SAABEEE???) ÓTIMO TEXTO GREMIO DO PRATA….

  • Grande texto, Fallavena! Não canso de lembrar que “raça, olho de tigre,…suor….” isolados da qualidade dificilmente trarão CONQUISTAS relevantes. Além de sangue, suor e lágrimas, o Grêmio terá de contar, em 2016, com QUALIDADE. Aí, teremos de trazer DOIS laterais titulares, um zagueiro para formar dupla com Geromel, um meia para disputar com Giuliano e DOIS atacantes, um de lado e um GOLEADOR. Além dessas contratações, temos de acreditar em Everton e Lincoln! O problema é que os hoje responsáveis pelas contratações não contam com “perfis” para o exercício da função!!!

  • Esqueci de registrar que a administração municipal, de fato, virou as costas para os três bairros que circundam a Arena, consequentemente para a própria Arena (ruas em torno dela). Realmente não há outra expressão a ser consignada para o que este Prefeito e seus asseclas estão fazendo para com as referidas localidades: “uma vergonha”!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *