Foi postado no dia 06 de maio no Blog Olhar Crônico Esportivo, de Emerson Gonçalves, o estudo anual Finanças dos Clubes Brasileiros, do consultor de marketing e gestão esportiva, Amir Somoggi (acesse aqui o post). Levando em consideração essa pesquisa, levantamos algumas questões para reflexão:

1) A receita total dos clubes, em média, se manteve estável e a do nosso GRÊMIO recuou 18%;

2) Preocupa muito em 2014, são as receitas com bilheteria em relação aos outros clubes;

3) As receitas totais dos clubes mantém uma tendência de inversão da curva para este ano, ou seja, vai começar a diminuir, iniciando o estouro da bolha no futebol;

4) A relação custo/receita mostra um maior comprometimento das receitas ano após ano;

5) Na questão do deficit, é preocupante, e coloca o nosso GRÊMIO novamente junto com o glorioso Botafogo, na lanterna;

6) Na análise da dívida total, a curva é ascendente, embora no último ano tenha se verificado o menor crescimento, apenas 6%.

Destaca-se ainda, a força da nossa torcida, pois em matéria de arrecadação do quadro social e do esporte amador, nós somos o primeiro. Mesmo que não tenhamos receitas com esportes amadores, somente com o quadro social, o que exalta ainda mais a importância dos sócios para o GRÊMIO.

Já em relação ao marketing, mostra-se muito abaixo das possibilidades do GRÊMIO. Nessa questão, o Clube pode e deve crescer.

Cesar Rotta

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

4 respostas a “Reflexões sobre as finanças do Grêmio”

  • Rotta, infelizmente o Grêmio não valoriza este tipo de estudo.
    Com a torcida que temos e nenhuma ação é feita, vide a Ilha do Grêmio, o Departamento de Remo e o Cristal. Espaços que poderiam gerar recursos para o clube e bem estar para os sócios.
    A administração do Grêmio é arcaica.

    • Ilustre Patta, para todas essas questões nós do prata mal ou bem temos uma proposta, temos pessoas encarregadas de estudar uma alternativa para propor ao GREMIO. Podem até não nos ouvirem, mas nós do prata não vamos desistir do GREMIO.

  • Só o associado para salvar o clube.

    Mas infelizmente, muitos estão deixando de ser sócios. Tanto pelo alto preço como pelo tratamento.

    Tem que montar uma boa estratégia para buscar associados no interior do estado e outras modalidades para quem quer apenas contribuir, mesmo de pequena forma.

    • Ilustre Denis Almeida, eu acredito no quadro social do GREMIO, ainda acho que se os sócios se unirem em nome de uma grande chamada de capital poderemos viabilizar definitivamente o clube como um todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *