Não, eu não acho o Gauchão “charmoso”! Acho sim, que é um campeonato mal organizado, que realiza jogos em campos impossíveis e que apresenta adversários, infelizmente, muito abaixo do nível esperado. Exatamente por isso, é uma taça que deve estar obrigatoriamente no nosso armário. Neste domingo, o GRÊMIO jogou contra o Juventude, com esta perspectiva.

Por tudo que descrevi antes, sei que esta partida não deve servir de parâmetro, mas também não deve ser deixada de lado, porque teve pontos muito favoráveis e que apresentaram um amadurecimento da equipe, o que me impressionou e de certa forma, me acendeu uma luz de esperança. Há tempos, vem se dizendo que o Pará não acompanha a desenvoltura técnica dos jogadores da lateral oposta, o que concordo plenamente, mas parece que ele reagiu de forma construtiva às críticas; achei a atuação dele, no jogo, bem mais concentrada e assertiva. Bem, em vários momentos teve a ajuda do Luan, que esteve, como sempre, em todos os lados do campo e infernizando por onde passa. Este guri (Luan)… que jogador senhoras e senhores!

Pelo meio, começando pelos volantes, ficou interessante a avançada que deu o Riveros, deixando a marcação mais acirrada para o Edinho e o Ramiro; aumentou a criação de jogadas, sem deixar a zaga sozinha. Falando em zaga, esta ainda me preocupa um pouco; tenho mesmo a impressão de que qualquer aperto já os coloca nervosos e quando isto acontece meio que batem cabeças e acabam marcando, os dois (Rodolfo e Werley), a mesma bola ou o mesmo jogador, abrindo espaço para avanços perigosos do ataque adversário e deixando tudo para ser resolvido pelos laterais ou pelos volantes — times que disputam La Copa, não costumam perder essas oportunidades.

Na frente, a habilidade e a velocidade do Dudu, combinadas com uma postura muito mais avançada do Barcos, foi a tática decisiva para a conversão dos gols. Ficou claro e confirmado, que essa deve ser a formação de ataque. O Wendell tem características que me agradam tremendamente; tem um passe muito bom como também são seus lançamentos na área. Apesar de jogar bem a frente, volta muito rapidamente pra ajudar na marcação. É um jogador com uma boa visão de jogo e técnica apurada.

Todas estas variações e aplicações táticas sempre são atribuídas ao técnico, neste caso não é diferente. Confesso que o Enderson me surpreende — positivamente — a cada partida. Gosto das mudanças que ele faz no time; principalmente as entradas do Alan Ruiz, que geram uma qualidade criativa fantástica. Percebo que ele coloca em campo, ou tenta, esquemas que anulam os do adversário; claramente estuda o outro time antes da partida. Ultimamente o GRÊMIO vinha sentindo a falta de poder contar com diferentes jogadas; vínhamos atuando sempre da mesma forma, com o mesmo esquema e já não surpreendíamos ninguém.

Fiquei sim, com uma impressão muito otimista para os próximos desafios da Libertadores e com a segurança de que, pelo menos, brigaremos. Quero demais este descontrole, esta festa… quero e mereço (todos nós merecemos) uma taça que foi, como tem que ser, conquistada com suor e sangue. Para uma Copa com a nossa cara, um título com a cara do GRÊMIO! Aguante TRICOLOR! Mas sem priorizar competições. Força total contra o Brasil de Pelotas e depois contra quem quer que seja o finalista, porque se ganhar Gauchão não é muito, muito pior é não ganhar.

 NÃO ao FUTEBOL MODERNO!

Ana Vilches
@anagremiovedder

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

6 respostas a “Um jogo de Gauchão para preparar para La Copa”

  • Excelente texto, Ana!

    Jogador foi feito para jogar. Se não jogam vão para a noite encher a cabeça de trago.

    Os times europeus jogam quarta e domingo em alto nível. Aqui (aprendi tarde) usam a desculpa de desvalorizar o regional para tapar a incompetência. Vamos ganhar essa porra de gauchão e colocar o SCI em seu devido lugar!

  • Grande Aninha do Prata

    Maravilha de texto Ana, e tem mais um clube da grandeza de Grêmio tem que ter plantel para todos os campeonatos, veja o surgimento do Luan que entrou na vaga do Cleber Mentira, a própria escalação do Dudu que entrou na vaga do tiozinho Zé Roberto, a preparação de Wendell que no ano passado foi reserva e este ano tá mostrando muita bola. Vamos em busca de todos os títulos possíveis, com a imposição do nosso modelo de jogar, filosofia de um Grêmio ganhador de Copas.

  • Quando se joga bem, quando se vive a competição, todo campeonato é válido.
    Temos que esmirilhar todo jogo daqui pra frente, logo teremos a parada pra copa e aí recarregamos as baterias.

  • Muito bom post em Aninha saiba que não te troco por outra em analise de um jogo. Muito lucida mesmo. Quanto ao comentário do companheiro Fernandes, tenho a dizer que ele foi muito brando ao se referir ao tiozinho. A grande diferença nesse ano é exatamente na articulação rápida e criativa, portanto eficiente de luan e somado a participação sempre veloz e produtiva do Dudu, alem é lógico da opção Ruiz ser de grande valia tecnica.
    Só vou solicitar atenção aos dirigentes do GREMIO para que observem melhor o camisa 10 do juventude que me parece rapido e criativo e se confirmar a impressão nos proximos jogos pode ser uma alternativa futura no GREMIO.
    forza gremio forza gremio
    andiamo a la copa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *