Seguimos com apresentação das propostas de Reforma Estatutária, que o Movimento Grêmio do Prata apresentou no dia 19 de fevereiro, na Secretaria do Conselho Deliberativo do Grêmio.

Confira abaixo a proposição que destina um percentual correspondente do Futebol Profissional às Categorias de Base do Clube.

Proposta 3
Categoria de Base – Incluir estatutariamente a destinação de 10% (dez por cento) às Categorias de Base do valor anual correspondente do Futebol Profissional:

Redação – Acréscimo do §4º ao Artigo 105 do Estatuto do Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense, com a seguinte redação:    
(…)
§ 4º. À Categoria de Base do Grêmio é garantida a verba anual não inferior a 10% (dez por cento) de todos os recursos destinados ao Futebol Profissional.
(…)  
Justificativa – O futebol moderno exige que Clubes descubram novas fontes de renda para que se mantenham competitivos, porém a mais clássica fonte de subsistência de um Clube é a negociação de jogadores oriundos das Categorias de Base.
Hoje no Brasil, tem-se um Clube que claramente se difere dos demais quando o assunto é revelar jogadores promissores e que consequentemente trazem recursos financeiros valiosos, este é o Santos Futebol Clube, devendo servir como parâmetro para a obtenção de novos talentos. Porém, além de uma boa observação, é necessário que a Categoria de Base tenha condições de investir na sua estrutura, e até aquisição de direitos federativos de jovens atletas, vindo a afastar-se da recente posição de refém dos empresários de futebol, transformando estes meros parceiros.

Tendo em vista o acima exposto, se faz necessário que o Estatuto do Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense proteja os investimentos futuros da Categoria de Base, independente da filosofia adotada pelas novas direções, mantendo-se um investimento mínimo para garantir a qualidade da Categoria de Base. Uma das formas mais eficazes para se garantir que o investimento nas Categorias de Base será condizente com o aporte financeiro despendido pelo Clube em outras áreas, é o próprio Estatuto prever o percentual mínimo que deve ser investido na Base.

Assim, o Grêmio do Prata entende que o Estatuto do Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense deve ser taxativo quanto ao percentual mínimo de 10% (dez por cento) anual sob a verba destinada ao Futebol Profissional. Com a garantia de investimento nas Categorias de Base, poderemos voltar a revelar talentos, tendo a maior parte da equipe profissional com “pratas da casa”, conhecida receita de sucesso, além de diminuir os gastos com contratações, que nos últimos anos representam mais de um time por ano.

De notório conhecimento que o Grêmio costuma investir até mais que este percentual, porém não deixa de ser importante que se fixe um mínimo que deva ser respeitado.

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Um comentário sobre “Proposta para as Categorias de Base”

  • IMPORTANTÍSSIMA essa proposta. Visto que o nosso futuro está na FORMAÇÃO de jovens talentos e futuros gremistas defensores de sua camiseta, podem também querer alavancar suas carreiras em outros clubes, porém é devido um retorno ao seu clube formador, através da venda de seus direitos. Pois bem, um base forte traz grandes frutos, seja com jogadores profissionalizados, seja com a negociação dos jovens. Para que se tenha uma categoria de base sólida é preciso investir, mas investir de verdade e um mínimo de 10% dos recursos destinados ao futebol profissional também é garantia de um futebol profissional forte, identificado e vencedor. Logo, indiretamente estaremos investindo no profissional, formando futuros bons atletas.

    Para mim, essa proposta deve estar no rol das mais importantes propostas de reforma estatutária, uma vez que fala diretamente com o futebol e com o futuro econômico do clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *