Não é que eu não acredite no GRÊMIO – a nossa história não me permitiria isto. Mas a verdade é que vejo muito difícil esta virada contra o T.I., no dia 13/04/2014, por alguns motivos óbvios.

Enderson, que vem me surpreendendo positivamente, levou um nó tático do Abel e vai precisar de muita imaginação, para reverter isto. Vejam bem, foi para o intervalo, achando mesmo que o Inter viria jogando da mesma forma que jogou no primeiro tempo; em final não tem lugar para inocência. O técnico que vai para um GREnal tem que prever todos os passos do adversário. O Enderson tomou do próprio veneno – teve todas as suas jogadas de ataque bloqueadas e anuladas. Infelizmente não soube substituir, o que matou qualquer chance nossa de sair com uma vitória.

Se o Luan está em um mal dia – ou talvez muito marcado – o que eventualmente acontecerá, então nada mais se converte a nosso favor. Para sermos campeões, necessitamos de uma jogada surpresa, de um esquema tático, que nos permita alterar o jogo e surpreender o adversário. Se formos pra o próximo GREnal, dependendo de uma única jogada então, definitivamente, podemos dar adeus ao campeonato.

O Pará… bem, o Pará, me deu uma certa esperança nas últimas atuações, mas não se pode esquecer de suas limitações técnicas, apesar de ter saído dele, novamente, o lançamento para o gol do Barcos. É um jogador que não pode ter a responsabilidade da última marcação, essa deve ser dos zagueiros, que têm que estar muito mais bem postados, do que estiveram ontem e nos jogos anteriores.

Ramiro inexistiu na partida de ontem. O Edinho achei mais participativo, mas se enrolou quando o D’Alessandro começou a jogar pela ponta – esqueceu que estava marcando o jogador e não a posição. O Riveros tentou, mas foi muito bem marcado no segundo tempo.

Não se monta esquema cagão no GRÊMIO; não se substitui um atacante ofensivo por um armador, que apesar de muito bom jogador, deixará o time muito mais pipocando do que atacando – vulgo faceiro. Em GREnal, não se satisfaz com 1×0, não se imagina que não sofrerá uma virada e, definitivamente, não se deixa para concertar a postura aos 35 minutos da etapa final.

Por atribuir muito desta derrota ao técnico é que não estou tão esperançosa. Ontem, contou a experiência da “raposa”, contou a manha de quem já conhece o clássico. Mas sei que tudo isto não passa de um amontoado de palavras que no dia do jogo se transformarão no sentimento mais puro e aguerrido, no desejo maior e crédulo de que esta Taça seja nossa. Minha razão me aponta a dificuldade. Minha emoção que, para o GRÊMIO, quanto mais difícil, melhor.

Força GRÊMIO, hey!

Força GRÊMIO, hey!

NÃO ao FUTEBOL MODERNO!

Ana Vilches
@anagremiovedder

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

3 respostas a “Difícil, muito difícil… mas GRÊMIO é GRÊMIO!”

  • O Grêmio abriu o placar e se “achicou”, quem se achica em grenal leva sal. Após o gol do Grêmio passamos a esperar o TI e não apertamos mais a saída de bola adversária. Faltou coragem, foram covardes, não me venham com desgaste físico…
    Mas não tem problema, nós iremos no Beira Rio, deixo aqui o convite para nossos ilustres diretores irem juntamente com a torcida, a pé ou de ônibus, quem sabe assim aprendam como devemos encarar um grenal.
    Joguem com raça, joguem com coração, que isso é Grêmio… não é time CAGãO!!!
    Força torcida TRICOLOR!!!

    • É isso ai, amigo Edison!!! Quem sabe não rerereinauguraremos o remendo de lona, com uma volta olímpica e a taça na mão? Mas antes temos a Libertadores, foco total!!!

    • Participo da tua convocação, Patta! Isso mesmo que digo há anos… que venham com a torcida e sintam na pele o que passamos… já que no coração, parece que não sentem mais. Olha… só quero – e já faz muito mais tempo do que deveria – que estes mocorongos tenham um mínimo de GREMISMO! E dale GRÊMIO, que temos LA COPA e depois sim, foco na virada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *