Desde que eu entrei na vida política do clube, lembro das primeiras frases que ouvi: “cuidado que o amor e o fanatismo vão diminuir!”; ou, então, “vai acabar se desgostando do futebol”. Bom, eu lembro exatamente do dia em que resolvi arriscar esses conselhos:

Era uma noite de Libertadores. Grêmio x Cruzeiro no estádio Olímpico. O Grêmio havia perdido a primeira partida de ida por 3×1 no Mineirão. Eu, como um bom Gremista, acreditava na virada heroica desse placar. Todos sabemos o final dessa história. Bom, foi exatamente nesse dia que decidi respirar a vida política do nosso clube. Motivo? Eu estava cansado de perder e ver meu time ser administrado por pessoas que somente “batem o cartão”. Pessoas que realmente acreditam estarem fazendo um “favor” aos sócios e torcedores. Eu, simplesmente, estava de saco cheio (desculpem o termo) de ser representado por dirigentes que não sofressem como eu sofria (e ainda sofro).

Logicamente, se eu esperava um resultado diferente do que eu estava presenciando naquele ano, teria que buscar soluções diferentes. Oras, como esperar que o nosso clube chegue ao topo, sendo representado e elegendo aqueles que não estão preparados (e não querem se preparar) para alcançar esse feito? Sendo assim, em 2010, para as eleições do Conselho Deliberativo, votei na chapa Terceira Via. Claro! Resultados diferentes, como citei anteriormente, requerem ações e fatos diferentes. Melhor dizendo: requerem fatos e ações NOVAS!

Contudo, para minha surpresa, somente o meu voto e de mais 25% dos sócios não foram o suficiente. Por quê? Porque elegemos 100% uma única chapa. Como dizia o poeta: “toda unanimidade é burra!”. Um Conselho do Grêmio precisa de oposição. Para que? Para fiscalizar! Levantar em pauta um debate daquilo que está sendo conduzido de forma errada, mas também servir ao clube (independente do Presidente) quando for convocado. Claro, também deve elogiar aquilo que de bom é realizado obviamente.

Quem me conhece, sabe o quanto eu me envolvo e me interesso naquilo que coloco como meta individual na minha vida. Sim, coloquei como meta individual uma mudança drástica no nosso clube. Como também disse anteriormente, eu estava cansado de perder! Não quero mais brigar por vagas! Não quero apenas participar das competições! Não! Eu quero ser CAMPEÃO! Eu quero que essa filosofia vencedora e ambiciosa volta o mais rápido possível ao nosso Grêmio. Eu realmente cansei do conformismo que se instalou nas dependências do antigo estádio Olímpico e da atual Arena.

Por isso, eu convoco o torcedor, nesse momento: o GRÊMIO DO PRATA está preparado para representar o sócio dentro do Conselho. Há 3 anos, projetos são elaborados, estudados e revisados periodicamente. Projetos os quais já foram entregues ao atual Presidente e deixados a disposição do mesmo. Além disso, o GRÊMIO DO PRATA não quer mais debater nomes como solução mágica. Já pensamos isso no passado, mas aprendemos com os nossos erros. Queremos que o TORCEDOR seja valorizado, uma vez que é o torcedor quem conduz o clube as verdadeiras glórias. Queremos que o estatuto seja cumprido! Como os atuais Conselheiros têm coragem de afirmar que estão fazendo algo, se uma boa parcela sequer respeita o estatuto e a outra parcela sequer cobra o respeito do mesmo?

Mas, alguns Conselheiros irão me dizer: “Luciano, uma minoria não tem voz de comando para mudar ou exigir algo”. Eu lhes respondo: uma única voz do GRÊMIO DO PRATA, mesmo que lutando sozinho e tomando vaia sozinha, JAMAIS deixaria de lutar pelo que acha correto e justo. Então, torcedor Gremista, imagine 30 ou mais vozes dessas no Conselho?

TODOS, absolutamente TODOS os Gremistas (sócios e não sócios) têm grandes serviços prestados ao clube. Seja pagando uma mensalidade, seja indo aos jogos, seja apoiando na frente da TV, seja adquirindo produtos oficiais… TODOS somos os Gremistas Históricos! TODOS somos os ILUSTRES! Chega da personificação! Vamos dar um basta nos nomes! Quem realmente merece ser representado no Conselho do Grêmio é o TORCEDOR!

Cito uma frase que ouvi a alguns meses atrás de um torcedor Gremista o qual não lembro o nome (peço desculpas por esse erro): “sinto saudades de um Grêmio que nunca vi jogar”.

Luciano Müller
@lucianosmuller

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

5 respostas a “Sinto saudade de um Grêmio que nunca vi jogar”

  • Grande Luciano Muller

    Esse é o Guri com a Força, com o Aguerrimento e com a Bravura de Grêmio, que texto companheiro, parabéns por tuas palavras, soubestes colocar de uma maneira simples um sentimento de Amor ao clube que emana do teu coração em Azul, Preto e Branco e que se junta aos anseios de tantos torcedores Gremistas. Tua crônica é uma homenagem a todos os Gremistas que tem esperança de ver este Grêmio que nunca viram jogar, como é maravilhoso estar no Grêmio do Prata e poder ao teu lado, assim como os demais companheiros, lutando por este desejo de tantos torcedores tricolores. Mais uma vez, obrigado Luciano, nessa hora da luta tuas palavras nos dão mais entusiasmo e motivação para conquistarmos estas vagas ao conselho e trazermos de volta o Grêmio que tantos não viram jogar.

  • so quero 3 COISAS : 1 conselho NAOOOOO omisso / que NAOOOO vaze ASSUNTOS internos pra MIDEA VERME 69 NE e que seja MUITO ATUANTE = ARTIGO 66 DO estatuto OK !!!!!!!!!! respeito com a INSTITUICAO = GFBPA e TORCIDA ! que CVS trabalhem pro FUTURO de TACAS ao clube .

  • A eleição passou Luciano Muller, o Grêmio é eterno e nosso gremismo não se “achica”… SEGUIREMOS SEMPRE FORTES COMO O RIO GRANDE!!!
    Pra cima do Atlético pr… pra cima do curintia… pra cima de quem se atravessar…
    Muller, tu tens obrigação de seguir lutando pelo Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense…

  • Tenho certeza que a inscrição e participação do Grêmio do Prata e os quase 10% alcançados nessa eleição foram sementes que irão germinar em breve. Contem comigo sempre na defesa dos interesses do nosso clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *