Falta pouco, muito pouco para o fim da era OLÍMPICO MONUMENTAL. A pressão por uma 2ª colocação no campeonato brasileiro aumenta. A pressão pelo título da Sul-Americana aumenta ainda mais também. Cada jogo no Olímpico é uma despedida, para aqueles que não “caíram a ficha”, temos apenas 2 jogos certos no Olímpico este ano.

O Grêmio vem fazendo sua parte na Copa Sul-Americana. Vem vencendo seus adversários e se classificando. Mas, pelo futebol apresentado, isso é suficiente? Não! O Grêmio chegou ao seu limite técnico, físico e psicológico. A falta de um grupo qualificado vem fazendo falta nesse fim de temporada. O Grêmio venceu o jogo de ida contra os colombianos do Millonários no Olímpico. Podia ter sido mais, mas isso não ocorreu pela falta de qualidade nas conclusões a gol. A vantagem de 1×0 é boa, mas não o suficiente para ir tranquilo à Bogotá, onde teremos que enfrentar a altitude, velocidade do time colombiano e o tão falado cansaço. Dia 15/11, o Grêmio vai ter que ser mais copeiro do que nunca para garantir a classificação para as semi finais da copa.

No belo sábado do dia 03/11/12, 40 mil apaixonados lotaram o Olímpico e jogaram junto com o time. Aquilo que esperávamos o ano inteiro: sintonia time-torcida. Infelizmente, a pressão por títulos fez com que a maior parte da torcida cobre belas atuações e um campeonato o mais rápido possível. A decepção na Copa do Brasil foi grande e, por isso, a exigência sobre o time aumentou. Contra a Ponte Preta, a situação não mudou muito, o Grêmio outra vez fez uma atuação fraca em todos os setores. Defesa exposta, laterais errando muito, meio de campo desorganizado e ataque ineficiente. A equipe paulista este por matar o jogo em algumas oportunidades. O Grêmio pouco chegava. Depois da expulsão de Júlio César(expulsão justa, carrinho no adversário que estava em condições de fazer gol), a torcida fez o que o Professor Luxemburgo tanto pediu: jogar junto com o Grêmio, assim como era em anos que o mesmo foi adversário. Aos 46 minutos, André Lima, o “Guerreiro Imortal” joga a bola, goleiro e zagueiros para dentro do gol. Olímpico explode! Mais 3 pontos garantidos e a tão sonhada vaga na Libertadores pela direção do clube está logo ali, uma vitória sobre o São Paulo dia 11/11 garante de vez a LA’13 para o tricolor.

Sobre o público de ontem, merece uma reflexão. Nos jogos contra Atlético-GO e Ponte Preta, em matéria de público e alento, a torcida deu show outra vez. E porque isso não aconteceu o ano todo? Principalmente no regional onde o interesse é baixo? E se baixassem pouco os ingressos? Tudo isso cabe refletir. Ontem famílias de origem humilde, jovens com camisa pirata do clube e muitos que fizeram sua despedida ontem, cantaram como se fosse seu último jogo no Monumental. Lindo demais ver a paixão de gremistas que puderam acompanhar o tricolor num momento tão importante. Outra reflexão: Será que depois dessas amostras, vale a pena elitizar o futebol? A classe A vai ser predominante? A classe C representa 40% da população do país. Certamente, são os mais apaixonados por futebol e tem o mesmo como único lazer. Vale muito apena refletir sobre público e perfil da torcida.

Dia 11/11/12, todos ao Monumental contra o São Paulo!

Dalhe Grêmio!

Dênis Almeida
@denisfpalmeida

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

6 respostas a “Último suspiro”

  • Baita reflexão e análise, Denis. E com relação ao futuro do Grêmio, ao contrário do que muitos dizem, de que apenas 3 reforços bastariam, digo que precisamos mudar praticamente a fotografia do time inteiro.

    Para não ficar mais no quase e voltar às Grandes Conquistas, o Dr.Fábio junto de sua nova direção deverá implementar uma reformulação profunda no plantel do time.

    • Pois é caro Cláudio Medeiros. O time é insuficiente para ser campeão de uma Libertadores. Faltam 2 zagueiros. Um bom volante, dois laterais, um meia e um atacante. Tudo isso para titularidade incontestável. Não vai ser fácil montar um time para 2013.

      Vamos aguardar o trabalho do Dr. Fábio Koff.

      • Denis,

        Não só um atacante. Dois atacantes. De resto, concordo. E estamos falando só em titularidade. Pra banco, vamos precisar mais ainda. Pois, nosso plantel é muito insuficiente até como plantel, pra não falar outra coisa. Enfim.

        O Dr.Fábio lê nosso site todos os dias. Se ele se apresentar como aquele Dr.Fábio que conhecemos no início, tenho convicção de que teremos muitas mudanças e o choque de gestão não será só mais uma promessa, mas sim uma realidade. E o plantel tricolor atenderá a essas mudanças. Dessa forma, poderemos voltar a Conquistar Títulos.

  • Infelizmente o Grêmio não atende os anseios de seus torcedores em inúmeros aspectos, e o acesso aos jogos é apenas um deles. Por ser Futebol se torna mais visível, mas há outros departamentos como Marketing e Patrimônio também muito mal explorados. O que espero dessa e de todas as direções subsequentes é, no mínimo, muito trabalho para diminuir cada vez mais os defeitos de relacionamento do clube com seus torcedores, sempre tão dispostos. Há, senão tudo, muito a melhorar.

  • Belas palavras Denis, Concordo plenamente em tudo que está escrito ai!!!
    Se tivéssemos um grupo mais qualificado quem sabe agente não estava brigando por algo há mais no final do campeonato, porem já estou feliz com o que o Grêmio conseguiu com esse grupo, com Leandro no ataque o máximo era isso mesmo!!! Espero que no ano que vem o nosso Grêmio monte um grupo bem mais qualificado do que esse para sermos novamente o dono da America.

  • Muito mais que jogadores, faltam HOMENS identificados com o Grêmio. Falta cobrança com veemencia. O inútil do Fabio Santos, que era OCO, UM CONE aqui, ganhou uma LA este ano. Era ruim pro Grêmio mas bom no Corinthians. Falta pulso, cobrança. E que os comandantes saibam DE FATO o que querem pro clube. Todo ano é este balaio de contratação…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *