Não bastasse ter sido, na MINHA opinião, o MAIOR goleiro que conheci em atividade  no clube, foi o responsável direto por me fazer apaixonar por essa posição. Toda a minha trajetória amadora vitoriosa como goleiro deve-se ao Maza, como eu o chamava. Inclusive o calção curtinho e o cabelo comprido era por causa dele. Quando somos crianças temos a mania de imitar os mais experientes. Eu tiver a sorte de copiar alguém com caráter, honesto, competente e vitorioso: Mazaropi.

A defesa contra o América de Cali foi talvez a defesa mais importante, entre milhares, na carreira desse arqueiro gremista. Tenho gravada e, a cada vez que a vejo, emociono-me.

Lembro, na minha infância, a vibração com que esse goleiro entrava em campo e comemorava um gol do GRÊMIO soqueando o ar OU ajoelhado cerrando os pulsos.

Era temido nos GREnais. Lembro o LOBO fechando o gol, inclusive em decisão por penaltys, como foi em 1989. EU estava lá.

Em 88, subi a serra com meu pai pra ver afinal contra o Caxias. Empatamos em 0x0 e fomos campeões. Nesse jogo ganhei um autografo dele na chegada ao Centenário. Impossível esquecer o momento, embora criança. Guardo essa relíquia até hoje.

Grande Maza. Como eu queria outros Mazas no GRÊMIO. Jogava por amor ao clube. Podemos ver até hoje em entrevistas a maneira que ele refere-se ao GRÊMIO: carinho, respeito e GRATIDÃO.

Parabéns ao arqueiro GREMISTA ETERNO.

Cristiano Zucco

Tuas defesas proporcionariam nossas maiores glórias!Em tuas mãos defendeu como pouco o nosso imortal tricolor.

Seremos eternamente gratos por tuas defesas monumetais que ajudaram a colocar o Grêmio no topo do mundo!

Forte abraço!

Vitor Zago

Geraldo Pereira de Matos Filho, nosso grande ídolo Campeão Mundial, Mazaropi, ou simplesmente Maza dentro das 4 linhas. Ou ainda, Lobo.

Um dos grandes responsáveis pela maior Conquista do nosso Grêmio, o título Mundial. Diziam ser um goleiro de baixa estatura para os padrões, no entanto, provou o contrário se tornando um gigante defendendo o Arco Tricolor. É detentor de um recorde Mundial: o Goleiro que mais tempo ficou sem tomar gols, entre os anos de 1977 e 1978, totalizando 1816 minutos sem ver a bola entrar em sua goleira.

Mas, fora esses detalhes todos, um grande Homem o qual tive a satisfação de conhecer no último ano. De uma personalidade singular e espírito vencedor. Daqueles que sentamos para conversar e aprendemos muito. Por esses dias, estávamos conversando em um jantar e Maza com os olhos lacrimejados disse o seguinte: “O que sou e tenho hoje, devo tudo a minha Mãe e ao Grêmio, e desejo poder retribuir isso um dia”. Pois Maza, e nós te dissemos que: “aguardamos e desejamos o seu retorno para trabalhar no Tricolor, e Nós Gremistas somos eternamente gratos a tudo que você fez pelo Grêmio”.

Muito Obrigado. Parabéns Imortal!!

Cláudio Medeiros

Grande Homem que, nascido mineiro e formado no Vasco, se tornou Gaúcho de coração, sendo um dos maiores jogadores gremistas. Fala do seu amor pelo Grêmio abertamente, de peito erguido e com convicção que nos emociona.

Aquela quarta-feira a tarde de julho de 1983, eu office-boy do banco Sulbrasileiro, não me segurei no trabalho, a partida tinha sido transferida por causa do mau tempo, e eu inventei uma deculpa esfarrapada e me mandei, peguei o Caldre Fião lá mercado público e desci na Azenha, invadi o Olímpico e presenciei, de olhos fechados e mão no rosto, aquela que é uma das defesa mais importante da nossa história. Obrigado LOBÃO por mais esta emoção e lágrimas tricolores.

Também tive o privilégio desses dias, num jantar, ficar admirando de perto aquele goleiro de defesas tão importantes, de jogos tão marcantes e de uma simplicidade que nos ensina a viver.

O Grêmio precisa de homens gremistas como Mazaropi.

César Augusto Fernandes


Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

9 respostas a “Parabéns, Mazaropi!”

  • Me emocionei com os comentários… eu estava no Olímpico, naquela tarde em 83, quando o Maza fez uma das defesas mais importantes da nossa história. Também estava em Caxias em 1988, quando a torcida Gremista subiu a serra em mais de 130 ônibus e lotou o Centenário prá festejar o Tetra do Gauchão. Eu também estava naquela gravação do comercial do Bolão do Grêmio, onde o Maza defendia um pênalti auxiliado pela orientação do Tião Macalé…Além de um dos maiores vencedores da nossa história, um exemplo de cidadão e de amor ao clube. Deveria receber maior consideração por parte do marketing e daqueles que comandam o clube. Lembro dele entrando em campo e erguendo os braços, levantando a torcida como uma ôla… era o terror dos vermelhos, pegava os pênaltis e ficava sambando, tirando sarro da cara deles… GRANDE MAZA, um dos meus maiores ídolos, junto com o Flecha Negra, Danrlei, Dinho, De León, etc… Saudações Tricolores !! Saudações ao pessoal do Prata !! Bons tempos !!

  • Parabéns Mazza!!

    Que as alegrias que tu nos proporcionaste por anos seja retribuída com muitos anos de vida, felicidade e saúde!

    Saudações Tricolores!

  • No meu Grêmio de todos os tempos o camisa nº 1 é o ETERNO MAZAROPI.
    Lembro como se fosse hoje o Grêmio entrando em campo e o Maza saltando e logo levantava a torcida como se fosse um gol.
    Outro fato importante foi quando o Maza treinou os goleiros do Grêmio, nossos goleiros tinham identidade.
    Obrigado Maza, aqui no Rio Grande o trago e a carne sempre será por conta da torcida TRICOLOR.
    JAMAIS TE ESQUECEREMOS!

  • Impossível ler os depoimentos e não se emocionar, assim como é impossível conhecer o Grêmio e não idolatrar o Mazaroppi.
    Maza referência, famoso Lobo, popular,ídolo,um gremista que como ele mesmo diz tem o “Grêmio como primeira pele”.
    Parabéns Maza! Serei eternamente grata por tudo que fez pelo nosso tricolor!

  • O único grande goleiro campeão mundial pelo TRICOLOR… decisivo, técnico, bravo, lobo… qualidades não o faltam… parabéns a um dos maiores arqueiros do futebol: MAZA!!!

  • e.mail enviado ao Quadro Social e Ouvidoria do GREMIO

    ABSURDO

    carmen fusquine
    10:37 (4 horas atrás)

    para Quadro, ouvidoria
    Eu como dependente de sócio remido – título pago e não recebido como benesses – até dezembro/2011, era obrigada a pagar a taxa de administração APENAS quando assististe aos jogos. Para minha surpresa, recebi hoje o boleto, cobrando a Taxa de Administração retroativa ao mês de janeiro e fevereiro, mesmo sem ter frequentado o Olimpico. Liguei para o Quadro Social e ,a informação é PASMEM, que o Conselho mudou as regras. Não fui consultada e muito menos informada de tal mudança. A Luana, atendente, que não passa de uma funcionária de recados, sem autonomia, AFIRMA que foi enviado e.mail comunicando. PARA QUEM, QUANDO? Provem que enviaram, pois não recebi nada e meu cadastro está atualizado. Quem se responsabiliza por mais esse absurdo contra os sócios? Claro, ninguém, o negócio é faturar, ou melhor, pressionar tanto os sócios para que desistam, afinal a ARENA/OAS tem que lucrar e muito, quanto a NÓS VERDADEIROS GREMISTAS QUE SE EXPLODAM. Aguardo um retorno urgente com as devidas informações, cópia do documento, onde tais cobranças foram alteradas.

    VERGONHA, VERGONHA….

  • Uma posição inglória. Tb fui goleiro junior do Grêmio, jogava no mesmo time do Renato gaúcho ( nosso outro ídolo). Uma posição que passamos de herói à vilão em instantes! Uma posição onde muitos profissionais, heróis, honraram a camisa tricolor na minha geração: Picasso, Manga, corbo, Leão, Mazaroppi, Danrlei, Victor, Marcelo…etc…
    Muitos honraram…Muitos passaram…Só os grandes ficam!
    Mazzaroppi talvez seja o maior exemplo de devoção ao clube. Era o pé de coelho! Não era o melhor goleiro do Brasil, nem nunca foi, mas foi o melhor goleiro do Grêmio, sem dúvida!
    Eterno Mazza!

  • Hoje vejo tantos jogadores entrar em campo para jogar de modo burocrático, tantos ídolos de barro nos tempos atuais, tantos cabeças-de-bagre e frangueiros, tantos “craquinhos”… nada se compara a jogadores como Zico, Falcão, Dinamite, apenas para citar ícones de outros clubes e Tarciso, Renato, e meu maior ídolo MAZZAROPI, que se entregavam aos jogos, buscavam sempre a vitória e eram capazes de nem sair a rua em caso de derrota, pois se identificavam com seu clube e sua torcida, zelavam seu nome e sua imagem. Valeu, mestre Mazza. A torcida segue contigo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *