21 de fevereiro de 2018. O olhar do continente se volta novamente para o Humaitá. Noite escaldante dentro e fora da Arena. Grêmio e Independiente se reencontram na final da Recopa Sul-americana.

Jogo com história. Há 22 anos o tricolor comandado por Luís Felipe Scolari havia vencido o time de Avellaneda após uma goleada por 4 x 1 em jogo único realizado em Kobe, no Japão. O Independiente queria revanche.
Mas não levou.

Os confrontos de 2018 foram dignos de um clássico das Américas. O primeiro terminou 1 x 1 no estádio Libertadores da América, na Argentina. Gol de Luan. Na volta, uma legítima final de copa. Um 0 x 0 daqueles que só o futebol explica: emocionante, com chances de lado a lado e muita peleia. Faltas, cartões amarelos e Amorebieta expulso. O predomínio foi gremista. Everton, Alisson e Luan bombardearam a meta encarnada. Jael entra no lugar do volante Jaílson. Segue a pressão. Porém, nada passou pelo goleiro Campaña.

Chega enfim a decisão nos pênaltis. O Grêmio fez valer o fato de ser o campeão da Libertadores. Campaña dessa vez não segura Maicon, Cícero, Jael, Éverton, Luan. No último pênalti, brilha a estrela de Marcelo Grohe, que defende a última cobrança.

Grêmio Campeão.

Os vermelhos não tiveram vez na Arena. Mais uma conquista continental. Mais um título para a conta do técnico Renato Portaluppi. Que venham mais taças em 2019!

Romeu Finato – Sócio do Grêmio e integrante do Grêmio do Prata

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *