Hoje completam-se 33 anos sem a “Pimentinha”, apelido dado por Vinicius de Moraes, Elis Regina. Geniosa, exigente, considerada a maior cantora brasileira de todos os tempos. Além de uma bela voz, Elis também ficou marcada por seus trejeitos que lhe renderam outro apelido, o de ‘eliscóptero”, por cantar balançando os braços.

Nascida em Porto Alegre, no bairro IAPI, Elis Regina começou sua carreira aos 11 anos, em um programa de rádio para as crianças. Aos 16 lançou seu primeiro disco, mas foi na década de 60 que surgiu a grande estrela, com uma presença de palco inconfundível. Sucesso nos tradicionais festivais nacionais, conquistou o Brasil ao cantar Arrastão, de Edu Lobo e Vinicius de Moraesno Festival de Música na TV Excelsior . Na década de 70 e início de 80 se consolidou como a maior cantora do Brasil.

Mas uma parte da história dessa grande cantora, poucos conhecem. Elis Regina era GREMISTA e SÓCIA do GRÊMIO. Nesta imagem abaixo, você confere na íntegra a nota da Revista do Grêmio, ano XIII, nº42, edição Março/Abril de 1968. A nota relata o momento da associação da eterna Elis Regina.

 

 

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

2 respostas a “33 anos sem a Gremista Elis Regina”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *