Hoje se comemora o centenário de nascimento do Gremista e autor da letra que está na ponta da língua de todo torcedor tricolor. Lupicínio Rodrigues, compositor e intérprete gaúcho, chamado de o “criador da dor de cotovelo“. O próprio Lupicínio afirmava que não sabia o porquê dessa fama, mas quem o batizou foi o apresentador Blota Jr, da Rádio Record, de São Paulo. De fato, Lupicínio Rodrigues gravou nas décadas de 1940 a 1950 inúmeras músicas que fizeram muita gente chorar, como Vingança, Nunca, Cadeira Vazia, Esses Moços, Pobres Moços?, Ela Disse-me Assim, entre outras.

Porém, a trajetória artística desse ilustre Gremista está na cabeça, na voz, nos ouvidos de inúmeros tricolores. Ele é o autor do hino cantado, decorado e amado por todos os gremistas. Para muitos tricolores as primeiras palavras são “imortal tricolor“. Elas estão lá, segunda estrofe, segunda linha: “tens imortal tricolor”.

Foi em 1953, num guardanapo, no restaurante Copacabana, em Porto Alegre, que Lupi começou a escrever o hino do seu clube do coração. Com os amigos, enquanto esperava para ir ao jogo do Tricolor, no Estádio da Timbaúva, do Força e Luz, veio a inspiração. O bonde estava de greve, então eles foram a pé. Com andar do jogo o resto das estrofes surgiram. Após a partida, em um boteco, na Baixada, ele aprestou o hino como nós conhecemos. A melodia nasceu na batucada de uma caixinha de fósforos, já que Lupicínio não sabia tocar nenhum instrumento, como muitas de suas canções famosas.

Com essa canção, Lupicínio Rodrigues venceu o concurso promovido pelo Grêmio, para escolher um hino em comemoração ao cinquentenário do Tricolor. O que era para ser um hino comemorativo, se tornou oficial e a trilha de uma história de inúmeras conquistas.

Lupicínio Rodrigues nos deixou em 27 de agosto de 1974. Este ilustre gremista merece todas as honras e palmas.

Cante e homenageie o Lupicínio Rodrigues.

Até a pé nós iremos
Para o que der e vier
Mas o certo e que nós estaremos
Com o Grêmio onde o Grêmio estiver

50 anos de glória
Tens imortal tricolor
Os feitos da tua história
Canta o Rio Grande com amor

Nós como bons torcedores
Sem hesitarmos sequer
Aplaudiremos o Grêmio
Aonde o Grêmio estiver

Lara o craque imortal
Soube seu nome elevar
Hoje com o mesmo ideal
Nós saberemos te honrar

Até a pé nós iremos
Para o que der e vier
Mas o certo e que nós estaremos
Com o Grêmio onde o Grêmio estiver

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

3 respostas a “Lupicínio Rodrigues, imortal tricolor”

  • Justa homenagem, IMORTAL Lupicinio Rodrigues. Contra a “nossa” fama de clube racista, um negro que cantava ao mundo o orgulho de ser Gremista. Mas infelizmente hoje, nos veículos oficiais do clube, nada, nenhuma linha sobre essa data tão importante. Parabéns mais uma vez ao Prata, sempre fazendo o resgate da nossa gloriosa história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *