Neste domingo foi realizado o primeiro dos quatro jogos-treino do Grêmio após o campeonato ter acabado, pelo menos pra nós.

    Na coluna da semana passada constatamos o prematuro encerramento da péssima campanha de 2011, cheia de equívocos dentro e fora de campo desde o início do ano. E como a sabedoria popular ensina o que nasce torto nunca se endireita, o ano começou errado e terminou sem sequer nos dar esperança de algo melhor.

        Como “cereja do bolo” – esta expressão é mais uma do folclore recente do Manuel de Contratações do Grêmio – teremos um clássico que não acarretará repercussão nos objetivos da temporada – todos tornaram-se distantes demais para serem alcançados, mas como é clássico exigimos raça, entrega e peleia o tempo todo, no mínimo.

        Antes do clássico a ser disputado no terreno invadido da Beira-Lago, temos jogos-treino pelo finado Campeonato Brasileiro compondo o que resolvi chamar de pré-pré-temporada.

         A volta de Felipão ao Olímpico nos reservou um empate e dois tempos de jogo bem distintos, ou melhor, se dividirmos o jogo em três períodos de trinta minutos, o Tricolor resolveu jogar apenas a última meia hora e comprovou uma convicção que estava esquecida.

          Quem resolveu o jogo para o Grêmio e evitou uma decepção maior em meio ao nublado feriadão? A base.

       Foram jogadas de garotos da casa como Leandro e Mário Fernandes, além do golaço de Fernando que impediram a derrota. Destaque para a atitude de Miralles – flagrada pela transmissão da TV – que foi ao banco questionar quanto tempo de jogo restava em meio a comemoração do gol de empate, em clara manifestação de desejo pela vitória, apesar da atuação apenas razoável.

Dar espaço para a renovação pela base é estratégia que dá certo, traz identificação com o clube e gera receita.

         Neste momento de reavaliação e projeções para o próximo ano sugiro que toda vez que a direção pensar em gastar com um determinado nome, pense se realmente não tem em casa mesmo um talento que está esperando uma chance, uma sequencia de oportunidades e um voto de confiança que tantas vezes são dados a jogadores alheios a história do clube e à sua grandeza.

         Vamos começar valorizando o que é nosso, aqueles que sonharam em jogar no Grêmio e em vestir esta honrosa camisa e contratar apenas o jogador incontestável e que realmente traga algum acréscimo. Se for para apostar, aposto nos nossos.

         E segue a pré-pré-temporada. O próximo coletivo está marcado para a turística capital dos cariocas, verão chegando e jogo com cara de férias.

Boa semana a todos!

Rinaldo Penteado da Silva

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

4 respostas a “PRÉ-PRÉ-TEMPORADA”

  • Felizmente chega ao final um terrível ano pra todos nós. A Direção do Grêmio tem todo o tempo do mundo pra planejar, olhar o mercado, analisar as melhores opções e avaliar o que não serve pro próximo ano. Por favor, ao lidarem com empresários, sejam mais profissionais. DALE GRÊMIO!

  • pq o gremio naooooo vende o doglas ( contrato ate DEZ 2012 SOOOO ) OK , e traz o ” tiago neves ” dos russos , NAOOOOOOOOO do fla OK ??????????????? e muito +++++++ jogador que o doglas NE !!!!!!!!!!!!!!!

    • Pois é, sempre reconheci no Douglas um jogador de valor. Acho que deve ser difícil dominar um balão do Rafael Marques e ainda ter que armar a jogada depois. Em jogos com maior competitividade e visibilidade ele joga bem, o jogo contra o Flamengo foi um exemplo. Mas concordo que o Tiago Neves seria um grande reforço, daqueles diferenciados que realmente não temos no plantel ou na base. Abraço!

    • Tenho a mesma opinião do Rinaldo. Se tiver companhia à altura, o Douglas faz boa partida. Não é jogador que vá resolver sozinho. Nem é assim que deveria ser, afinal, futebol é esporte coletivo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *