Domingo é dia de duelo entre tricolores na Arena. O Grêmio iniciará sua jornada no Campeonato Brasileiro 2020 contra o Fluminense. Uma estreia diferente, sem torcida, em meio às incertezas de uma pandemia. Mas é o Grêmio em campo em busca de mais uma taça. Longe ou perto, é dia de Grêmio!

Grêmio e Fluminense têm, no seu repertório de confrontos, duelos memoráveis, partidas disputadas, com muitos gols e viradas de parte a parte. Ano passado, a vantagem foi dos cariocas em um jogo de nove gols. Mais do que nunca, é preciso entrar ligados. Num certame de pontos corridos, a atenção e a vontade de ganhar deve se fazer presente desde o primeiro apito do juiz.

O histórico gremista é favorável em confrontos do Brasileirão. Foram 63 jogos com 25 vitórias do Grêmio, 21 do Fluminense e 16 empates. Nesses embates, o imortal marcou 82 vezes contra 72 do rival.

Tradição

Grêmio e Fluminense já se enfrentaram na abertura do torneio. O ano era 1993 e a vitória foi gremista: 3 x 2, com gos de Sérgio Winck, Gilson Cabeção e Adil. O ano marcou o início da Era Felipão, que já estava na casamata nesse jogo. Em 2006, outro jogaço na Azenha: o Grêmio perdia por 4 x 2 no tempo regulamentar, quando Herrera e Rômulo, ao 47 e 49 minutos, empataram a partida ao estilo Grêmio.

Goleada gremista

Mais um jogo épico ocorreu em 2009 em Porto Alegre. O Grêmio fez um campeonato irregular naquele ano. Não conseguia repetir fora os bons desempenhos que tinha na sua casa, o eterno Olímpico Monumental. E foi justamente ali que o Imortal, comandado por mestre Jonas, sapecou uma das maiores goleadas do confronto: 5 x 1. Com amplo domínio de ponta a ponta.

Os clubes possuem ídolos em comum. Telê Santana despontou como atleta nas Laranjeiras nos anos 50 e fez história aqui como treinador, mudando a trajetória do Grêmio com o título de 77. Renato Portaluppi, que dispensa apresentação, deixou sua assinatura no tricolor carioca quebrando um jejum de títulos ao fazer o famoso gol de barriga em 1995. Depois disso, ganhou um Copa do Brasil pelo Fluminense em 2007 na condição de treinador. O gol do título carioca foi marcado por Roger Machado.

A Arena, vazia de torcida, estará cheia de história, peleia e rivalidade. Mesmo longe, estaremos perto, pelo rádio pela tv, pelo sentimento. E que o Grêmio faça valer sua vantagem dentro da cancha!

Romeu Finato, integrante do Grêmio do Prata
@romeufinato

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *