Setembro é mesmo um mês espetacular para nós, gaúchos e GREMISTAS. É o mês em que comemoramos nossas virtudes… as grandezas de um povo FORTE, AGUERRIDO e BRAVO e o nascimento de um clube de futebol que incorporou estas características à sua história.

No dia 15 de setembro de 1903, foi fundado o clube que define meus compromissos, meu estado de espírito e minhas relações humanas. Tu podes até considerar um exagero da minha parte, mas o GRÊMIO tem verdadeiramente este valor na minha vida.

Já muito pequena – três anos – com fervor defendia esta combinação de cores, sem qualquer influência de cunho familiar. Puro amor, como deve ser, sem explicação. Vendo minha paixão pelo GRÊMIO, minha dinda, que hoje “lá do céu, canta contigo”, me levou ao OLÍMPICO MONUMENTAL (inaugurado igualmente em setembro). Eu, então com seis anos – 1977, um ano incrível – me deslumbrei com aquele monumento TRICOLOR. E o sentimento foi irreversível.

Vivi momentos inesquecíveis neste casarão. Aprendi valores, ideologias… conheci pessoas fenomenais. Comemorei o primeiro título continental do Rio Grande do Sul, a competição que até hoje enche meu peito de orgulho. E neste mesmo ano, o GRÊMIO me presenteou com o Mundial. O ano de 1983 me agraciou com um time formado por homens que representavam demais o meu GREMISMO, a minha vontade. Tenho uma imensa admiração por todos os jogadores – e técnico – desta formação, mas um deles em especial, como não poderia deixar de ser, é o brilho dos meus olhos – Renato Portaluppi (nascido em setembro).

Em 2001 vi o surgimento de uma torcida sem igual. Este fenômeno só podia acontecer mesmo neste clube. Torcedores de um amor incondicional, com voz incansável, ligados ao GRÊMIO tão intensamente, que nada, nenhum percalço impedia o espetáculo que produziam. A Geral do Grêmio faz parte desta minha história de vida no clube. E por tudo que fizeram e ainda fazem, têm em mim uma defensora contumaz.

Em 2008, quando entendi que o clube atravessava um momento nebuloso, internamente, o destino colocou no meu caminho GREMISTAS, que como eu, tinham este sentimento puro e protetor pelo clube. E o único objetivo destas pessoas era resgatar a força do GRÊMIO; lutar pela identidade destas três cores; impedir que diminuam o maior das Américas. Conheci o GRÊMIO DO PRATA (fundado em 15 de setembro), me tornei membro e tenho imenso orgulho do trabalho que este grupo realiza em prol do GRÊMIO.

Destes teus 115 anos, GRÊMIO, acompanhei 47. Tenho esperança de acompanhar muitos mais. Te vi ganhar o Mundial, o BI e o TRI da Libertadores; te vi ganhar cinco vezes a Copa do Brasil e duas vezes o Campeonato Brasileiro. Fui contigo a pontos que não gostaria e aos quais brigarei sempre para não voltar. Estarei contigo até meu último suspiro; talvez, até mesmo depois disto…

Então, neste 15 de setembro de 2018, parabéns, meu querido! E obrigada, por tudo! Tua história imortal ficará sempre atrelada à minha.

Ana Vilches
@anagremiovedder

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *