Eu não era nascido em 1977, nasci sete anos depois. Mas sei da história e tudo que envolveu no dia 25/09/1977. Ali, renascia o espírito vencedor no Grêmio depois de um longo jejum de títulos.

O Campeonato Gaúcho não é o título mais importante que o Grêmio conquistou. Campeonato Gaúcho não vai resolver todos os problemas do clube, mas pode e deve devolver a auto estima ao Torcedor Gremista. O primeiro passo é parar com as desculpas esfarrapadas como: “Gauchão não vale nada.” “Odeio Campeonato regional.” “Nosso foco não é esse…”. Chega, acabou! O Grêmio tem que conquistar o regional 2015. Ponto final. Vamos ao 14º ano sem título de expressão e para o 5º sem taça alguma. Vamos a alguns exemplos aqui no RS mesmo. Na metade dos anos 40 até metade dos anos 50, o rival predominava no estado. Ai com o surgimento do Olímpico e com a quebra de hegemonia deles, o Grêmio em 13 anos conquistou 12 regionais, o rival só venceu um em 1961 e foi uma era muito boa, segundo os gremistas da época. Airton Pavilhão, João Severiano, Alcindo entre outros. Depois foi a vez do rival inaugurar seu estádio e vencer 8 vezes seguidos o regional. Pergunte para quem estava no Olímpico no dia em que o gol do André Catimba quebrou a hegemonia deles. Ali o Grêmio voltou a vencer e se reestruturou para vencer títulos regionais, nacionais e de projeção no exterior. De 1985 a 1990, o Grêmio foi Hexa Campeão Gaúcho. Nesse tempo, conquistou a Copa do Brasil de 1989 e mesmo assim, não deixou o rival conquistar título e o deixou em jejum de taças. Podemos pegar o exemplo do Palmeiras. O clube paulista ficou dezesseis anos sem título algum, inclusive regional. A partir do regional de 1993, começou a era mais vitoriosa do clube. Os palmeirenses da época celebram o regional até hoje como um dos títulos mais importante e o mais marcante. E se pegar exemplo de qualquer lugar do mundo, jamais um time vencedor não ganhava do seu rival seguidamente.

 O Grêmio é muito grande, tem que entrar para ganhar todas as competições que disputar. Todos nós queremos mundial, Libertadores, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Sul-Americana… mas o primeiro passo é vencer o rival de forma seguida e resgatar a hegemonia estadual. Sempre foi assim e dificilmente vai mudar.

Vamos, Grêmio! Vamos começar uma era vitoriosa a partir do regional 2015.

Dênis Almeida
@denisfpalmeida

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

8 respostas a “Precisamos de um ano como 1977”

  • Tendo como “símbolos” da raça tricolor Douglas Barriga e Luan Molenga?

    Só cai nessa quem pediu a volta do primeiro, idolatra o segundo ou
    quem pediu pro Luxemburgo ficar em 2012.

  • LEMBRO MUITO BEM DESSE JOGO EU ESTAVA LÁ, ACHO QUE SOFRI MAIS NAQUELA ÉPOCA DO QUE SOFRO HOJE, POIS EU ERA JOVEM E LEMBRO QUE ERA ÉPOCA DA GUERRA FRIA E SE DIZIA QUE ” EU TORÇO PARA RUSSIA MAS NÃO TORÇO PARA O INTER ” vivia secando o colorado, e sempre perdia era poucas as alegrias como aquele GRENAL EM UMA QUARTA FEIRA NO OLIMPICO, se não estou enganado, QUE O GREMIO GANHAU DE 3X1 ( 1974) TREZ GOL DO ZEQUINHA. NESSE DIA que o ilustre Denis Almeida se refere no post, ME EMPANTURREI POIS O ÚNICO TITULO QUE HAVIA COMEMORADO FOI EM 1968 COM O HEPTA CAMPEÃO NOS 4X1. ara um gurizinho mas me lembro.
    DEPOIS DISSO ERA SÓ AGUENTAR AS GOZAÇÕES E A CADA DERROTA EU FICAVA MAIS GREMISTA. ESSE JOGO TINHA O SAUDOSO VITOR HUGO, O XERIFE OBERDAN, E O MATADOR ANDRÉ CATIMBA, ALEM É LOGICO DO MAIS GREMISTA DE TODOS OS JOGADORES QUE CONHECI, IÚRA uma raça de um leão e rápido como um passarinho.
    Um senhor articulador rápido e criativo TADEU RICCI, tudo o que nos falta hoje.
    Por fim, como sempre esse Denis Almeida sempre com bom post.
    FORZA GREMIO FORZA GREMIO
    SALVE GREMIO SALVE GREMIO

  • Que lembrança boa em Denis Alemeida. Eu lembro, estive lá, uma época inesquecível, pois meu primeiro título que lembro foi em 1968 no hepta campeonato. onde ganhamos o GREnal por 4×1. Depois dessa data quanto mais perdia mais GREMISTA me tornava. Outro resultado que me alegrou muito foi os 3×1 no GREnal do olimpico em uma quarta feira se não estou enganado. Foram três gol do zequinha.Eu acho que naquela época até sofri mais do que agora pois naquela época eu era muito jovem, embora foram oito anos sem ganhar nada e agora já são 13 anos e meio.
    A diferença é que naquela época tínhamos um articulador rápido e criativo um grande jogador Tadeu Ricci, tinha um Iúra, uma raça de um Leão e rápido como um passarinho. Um grande jogador chamado Victor Hugo com centro médio, um Oberdan, xerifão que colocava ordem na casa, e por fim um matador no ataque o André Catimba.
    Hoje temos um Luan, habilidoso mas indolente, e o resto não preciso mencionar, todos sabemos.
    Em 1976 tínhamos um time tão bom quanto o de 77, Lembro do grande jogador OBERTI, mas nos faltou um técnico experiente e aí não deu.
    agora nos resta organizar a casa, para criar as condições para voltar a vencer, pois milagre ninguém faz, não adianta se iludir.
    FORZA GREMIO FORZA GREMIO
    SALVE GREMIO SALVE GREMIO.

  • Baita lembrança Denis!!!
    Porém outro gauchão importante foi o de 1993.
    Assim como 1977 o de 1993 foi de estrema importância na construção de um time com identidade e raça.
    Em 1977 Oberdan disse; “este time irá vencer e ninguém vai chorar, este é um time de homens”.
    Que 1977 nos sirva de exemplo.

  • Pior que ganhar o Gauchão é perder e ver o maior rival com a taça, e como em 2015 o primeiro semestre será reservado ao ruralito que o Grêmio faça uma pré temporada boa e deixe o início do gauchão com a base com o time titular participando dos jogos na Arena e na hora decisiva use o time que estará pronto para o ano inteiro.

  • Impressionante o declínio obtuso de um clube que já contou com a 5 maior torcida do Brasil. E o pior é que a linha do ciclo tende a continuar descendo. O que Odone e Koff fizeram/fazem com o Grêmio é imperdoável!
    POBRE GRÊMIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *