Ontem quando voltava para casa, numa gélida e longa viagem de mais de 1 hora, depois de participar do programa do Sr. Antonio Augusto, algo me angustiava, era o fato de ter estado com uma pessoa que se admira e respeita tanto, e não ter conseguido falar um recado que estava entalado na garganta, mas não foi por falta de oportunidade que não falei, foi pelo fato de querer falar o melhor sempre, porque não basta chegar a um microfone e falar qualquer coisa, como muitos fazem no Grêmio, mas meu sentimento ainda sim era de êxtase, por ter a oportunidade de ser ouvido, fato que acho que todo gremista gostaria de ter em muitos momentos, seja pela direção, pelo conselho (que está lá pra representar os interesses do torcedor) ou pelos jogadores, mas fato esse que só acontece se dermos a cara pra bater, se nos colocarmos na linha de frente, como fez o Grêmio do Prata na última quinta-feira, invadindo o reduto de tantas comemorações para mostrar que o Grêmio tem um caminho pra voltar a vencer.

Caminho esse que passa por um apelo “Volta, Fábio Koff”. Sr. Koff que muitos dizem que está velho, eu digo que é velho sim, um senhor com 81 anos, não pode ser chamado de garoto, até porque seu corpo está velho e cansado, principalmente por ver o descaso com o patrimônio que ajudou a construir, mas tenho certeza em dizer que sua mente é uma mente de um jovem que quer o melhor para o Grêmio, uma mente renovada por ver que ainda existem pessoas que querem o Grêmio grande, não só no discurso, mas que tem idéias e planos para um Grêmio forte, aguerrido e bravo.

Esses que o intitulam de velho, são os mesmos que acreditavam que Felipão era um técnico ultrapassado, são os mesmos que discursam sobre imortalidade a cada derrota, sobre o amor incondicional e que vão a viagens para o exterior conhecer as mais belas arenas do mundo. Pra esses eu digo, um velho de 76 anos chamado Nelson Mandela, foi eleito presidente de um país dividido no ano de 1994, e com idéias inovadoras, fez em pouco tempo esse um país unido e em crescimento.

Bom, mas como estamos falando de futebol, quem sabe se essas viagens para conhecer arenas e centro de treinamentos europeus fossem gastos, para entender como funciona um futebol como o alemão, onde em 2011 dos 36 clubes profissionais, 33 têm lucro, onde a média de idade dos jogadores é de 25 anos e onde se investe na base.

Tudo isso tem uma explicação bem simples, falta respeito com a instituição Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, sendo assim falta respeito ao torcedor que fica refém da falta de comprometimento de quem está lá para servir aos seus interesses, que nada mais é a paixão pelo Grêmio, e o desejo de vê-lo novamente no lugar de onde jamais teria saído.

O mesmo respeito que falta aos adversários, respeito, não medo, quem sabe se tivéssemos respeitado a qualidade de um técnico multicampeão, não teríamos perdido para um “porco” que estava na lama, da mesma forma que ganhamos de uma “raposa”, que não mostra capacidade de caçar nem um coelho morto, mas espero que o mesmo pensamento entre em campo hoje, para enfrentar um “leão” que nunca rugiu, ainda mais em nossos domínios.

Ah! Quase me esqueci de falar o recado que queria, e gostaria que fosse exatamente assim.

“Um recado para todos dentro do Grêmio, no domingo vocês não jogaram no Japão, jogaram em Minas Gerais, o time de azul não era o Chelsea, e sim o Cruzeiro, o jogo valia pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2012, e não um título Mundial, portanto, vocês não ganharam nada, e a torcida do Grêmio só respeita e idolatra aqueles que dentro do Grêmio conquistaram um título de expressão, então respeito com a torcida e muito respeito com Fábio Koff”.

Hoje Todos os Caminhos Levam ao Monumental!

Israel Lopes
@Dj_Israelpoa

Cadastre-se para receber nossas atualizações

Não se preocupe, não enviaremos spam

5 respostas a “Avante, Grêmio!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *